segunda-feira, 2 de maio de 2016

OPINIÃO | A Cartada Final | Por Adriano Chagas*


O professor Rafael Peçanha tem estado muito ocupado com reuniões e ações...

Qualquer grupo que pretenda administrar uma cidade, para o futuro, deve estar atento às necessidades que de fato são prioridades no presente. Precisam compreender os processos políticos que são peculiares a está cidade. Devem ter consciência para não cair na conversa fiada da política, pois as transformações sociais acontecerão mesmo contra a vontade daqueles que preferem travar tais iniciativas fazendo delas cartas marcadas que por vezes insistem entrar no jogo ao distrair do croupier.

A solução está na intervenção dos cidadãos na política, homens e mulheres que, com percepção aguçada, compreendem que só através de sua participação a política poderá ser o que se propõe, ou seja, uma ação ao coletivo e jamais o resultado das vontades de alguns em favor de poucos. A política é sem dúvida o mecanismo mais incrível que apareceu aos homens, e que no estado puro é extraordinária. E cabe a estes homens e mulheres escolherem com cuidado o grupo que os representará, devendo este ser novo!

E percebendo tais nuances o grupo que assumir a gestão terá condições de montar uma cidade que não reflita a tragédia. E como em um quebra cabeças, o juntar das peças certas produzirá uma imagem mais nítida e muito mais bonita.

Para que tudo isso se torne realidade é preciso que haja mudança e pela própria definição do termo, fica claro que deve ser a substituição daquilo que existe ou já está, pelo novo, jamais para aquilo que, também existindo, está à espera de retornar. E como já disseram: “Os homens mais tristes que conheci estavam longe do poder.” Será que o Dep. Federal está triste? Ao que tudo indica sim! O poder pelo poder entristece.

Já o Dep. Estadual Janio Mendes é puro entusiasmo e felicidade. Sabe que tem o melhor grupo, sendo este o mais preparado, o mais qualificado, o mais organizado, o mais pensativo e o mais responsável. A escolha certa a ser feita nas próximas eleições, afinal de contas mudar é também experimentar.


Lembra do professor Rafael Peçanha lá no início da conversa, então ele faz parte dessa mudança.


* Adriano Chagas é professor, historiador e escreve no Blog às segundas-feiras.

3 comentários:

Julio disse...

Rapá, sábado eu vi o ex-prefeito MM no maior carro negro e não me pareceu nada triste, pelo contrário parecia uma risada de emotions. Triste estava eu: em um ponto no maior Frio, chuva fina também fria... esperando ônibus por quarenta minutos. Ninguém merece esse lixo público, ops " transporte público.

Com todo respeito ao meu amigo de longa data, deputado estadual Janio Mendes, eu não acho que o seu ( dele) grupo, seja mais forte do que o de MM - sem contar, que eu ja detectei muitos desesperos. Bem, isso se o grupo de MM for o mesmo das eleições anteriores A verdade é pra ser dita!
Ainda mais que ele está " acoplando " ex-representantes " desse desastroso governo que não é governo. Segundo as más línguas venenosas

Anônimo disse...

Excelente texto,
Se desejamos uma cidade mais, próspera, comecemos a escolher nas próximas eleições
candidatos comprometidos em busca do bem comum.

fernando disse...

Excelente artigo uma reflexão que nos convida à responsabilidade de fazer de Cabo Frio uma cidade de fato desenvolvida e bem administrada.