quarta-feira, 18 de maio de 2016

EDITORIAL - Uma versão mais verdadeira.

O prefeito Alair Corrêa publicou ontem, eu seu Blog, mais um texto alimentado pelo ódio e pela total falta de noção do que é a realidade e do que significa uma democracia. Como sempre, não assumiu nenhum erro e atacou os trabalhadores, tentando desviar o foco da verdade - seu governo é o pior da história da nossa cidade. 

Para tentar fazer justiça, resolvemos escrever uma adaptação da "obra" escrita pelo governante, afirmando que, na verdade ele não se enganou tanto assim - se o texto que ele publicou sobre os trabalhadores fosse dirigido a ele, e fosse redigido em bom português, cairia bem de acordo com a verdade. Vamos conferir juntos?

O TEXTO DA MENTIRA:


DIRIGENTES DO SEPE NÃO TEM DEMONSTRADO RESPEITO E SOLIDARIEDADE


Lamentavelmente os dirigentes do SEPE não têm demonstrado respeito ou solidariedade pelos alunos das escolas municipais. Podem até alegar atraso de pagamento de alguns dias, mas apesar de todas as dificuldades que atingem nosso Município, reflexo de uma crise sem precedentes na recente história brasileira, temos cumprido o nosso dever.
Verdade, recebem seus salários com algum atraso, mas jamais, superior a 15 dias. No entanto, como que contagiados pela paixão e pelo interesse político, fazem outra greve de três dias. Um procedimento comprometido com outros objetivos que não apenas a questão salarial. E essa situação, que a todos constrange, ocorre exatamente no dia em que pagamos o salário. E como já explicamos, é a terceira terça feira do mês, quando são depositadas as maiores parcelas do ÍCMS e FUNDEB. Não querem o empréstimo pois tem altos salários, confundem a opinião pública pois podem receber com algum atraso. Fica evidente que não pensam nos colegas de outras secretarias. São servidores que ainda aguardam a reposição de insalubridade, adicional noturno, plantões e salários em dia. São homens e mulheres, chefes de família que ao contrário dos diretores do SEPE precisam ter normalizada a questão salarial. Talvez para o SEPE, seja apenas mais uma divergência cotidiana, mas para os demais funcionários é um drama cotidiano.
Autor: Alair Corrêa.

O TEXTO DA VERDADE: 

DIRIGENTES DO GOVERNO NÃO TÊM DEMONSTRADO RESPEITO E SOLIDARIEDADE


Lamentavelmente os dirigentes do Governo Municipal não têm demonstrado respeito ou solidariedade pelos alunos das escolas municipais. Podem até alegar que o atraso de pagamento de alguns dias não é um problema, mas ele, o governo, é a origem de todas as dificuldades que atingem nosso Município, reflexo de uma crise ética sem precedentes na recente história brasileira, já que a gestão Alair não tem cumprido o seu dever.
Verdade, recebemos nossos salários com atraso de 15 dias às vezes. Por isso também, contagiados pela democracia e pela luta pelos direitos dos trabalhadores, fazemos e faremos greve de três dias, um procedimento comprometido com outros objetivos que não apenas a questão salarial: décimo-terceiro, vale-transporte, férias, aposentadoria, licenças de direito, sem falar nas perseguições. E essa situação, que a todos constrange, ocorre para que o governo pague o salário, o que foi feito de forma completamente erradas. E como já explicamos, o governo resolve pagar na terceira terça feira do mês, quando são depositadas as maiores parcelas do ÍCMS e FUNDEB, mesmo já tendo dinheiro em caixa para fazer repasses milionários a empresas de amigos. Não queremos o empréstimo porque o alto salário do prefeito não será descontado pelos próximos 20 anos, mas o futuro da nossa cidade será. O governo quer confundir a opinião pública e fica evidente que não pensa nos trabalhadores de todas as áreas e secretarias, aliás, que não pensa em ninguém além de alguns membros da família Corrêa. Temos servidores que ainda aguardam a reposição de insalubridade, adicional noturno, plantões e salários em dia, e que têm sido maltratados por este governo. São homens e mulheres, chefes de família que ao contrário do prefeito, precisam ter normalizada a questão salarial. Talvez para o prefeito, seja apenas mais uma divergência cotidiana, mas para os demais funcionários é um drama cotidiano.
Autor: trabalhadores de Cabo Frio

Um comentário:

Anônimo disse...

e o nosso 13 salário ate agora nada esse pilantra desse alair
deveria ter vergonha na cara de publicar alguma coisa na mídia