sábado, 7 de maio de 2016

Comunicado da Apolo Refrigeração em resposta à matéria ""Cadê o dinheiro que estava aqui?" - CAPÍTULO 3 - O Caso Apolo e o Ibascaf".

Em resposta à matéria da última quarta-feira (clique aqui e releia), recebi a seguinte resposta por e-mail:

Boa noite Sr. Rafael Peçanha,

Me surpreendi essa tarde com a triste notícia de que a minha empresa estava ligada a um escândalo politico postado em seu blog, vinculado a pessoa da Srª. Reuza Maria Soares, presidente do IBASCAF como sócia da minha empresa, o que muito me espantou, visto que a mesma foi prestadora de serviço da minha empresa, durante um período.

Minha empresa sempre foi familiar e por um fatídico momento a mesma foi incluída no quadro societário temporariamente, o que se findou no momento em que eu pude entrar no lugar da mesma.

Tenho em mãos o contrato social datado de 02/01/2012 e as minhas declarações de IRPF decorrentes dos anos como sócia da empresa, além de outros documentos que comprovam a participação em licitações inclusive no IBASCAF muito antes da mesma se tornar presidente da autarquia.Não prolongando o assunto peço que se retrate, pois minha empresa é inidônea e esta [sic.] há muito tempo no mercado, não podendo ser alvo de desavenças politicas, haja vista que não compactuamos com politicagem, seja a favor de quem for, peço que entenda pois não posso perder a credibilidade com meus clientes tendo o nome vinculado com essa Sra. 

Desde já agradeço e estarei a sua disposição para lhe tirar quaisquer dúvida referente a empresa APOLO FRIO REFRIGERAÇÃO LTDA - ME.

ATT. [nome preservado]/ sócia desde 2012. 

PS. Já estou verificando junto a Receita Federal o que ocasionou o erro quanto ao quadro societário.

COMENTÁRIO: 

A função social deste Blog sempre foi a de ajudar, jamais de atrapalhar qualquer cidadão ou empresa. Nosso papel é denunciar e questionar em cima de fatos e dados concretos, não por uma reles veia de denuncismo, mas para fazer justiça e construir uma Cabo Frio mais justa, o que inclui a total expulsão do atual modelo de governo dos nossos dias. 

Nesse sentido, como sempre, valorizamos o direito constitucional do contraditório e sempre publicaremos "os dois lados" da moeda, como aqui ocorre. Jamais esconderemos argumentos contrários ao nosso, nem tomaremos nossa verdade como absoluta. 

Entretanto, é preciso ponderar algumas coisas.

1) Não me retratarei, como pede o texto. Construí a denúncia em cima de fatos concretos. Há papéis, documentos públicos, consultas à Receita Federal e publicações oficiais. Se as informações passadas pela empresa da Sra. aos órgãos públicos estão incorretas, o erro e da Sra. e da sua empresa, logo, a Sra. é que precisaria "se retratar" diante da sociedade;

2) É preciso considerar ainda que a simples explicação relacionada ao "erro" ou à "coincidência" é muito questionável.  Então quer dizer que a atual presidente do Ibascaf prestava serviço para esta empresa; foi colocada como sócia "num momento fatídico" antes de ser presidente; sai no ano da eleição; um ano depois contrata, para prestar serviço à autarquia na qual se torna presidente, a empresa da qual outrora foi prestadora de serviço; e agora descobrimos que, "sem querer", o nome dela não foi retirado do quadro societário, por erro ou esquecimento? Considero que não seja uma explicação tão simples de ser aceita, creditada ou digerida.

3) Nesse sentido, mais uma vez, publico e publicarei sempre todas as respostas ao que aqui for veiculado, mas discordo veementemente do pedido de retratação, ao mesmo tempo em que defendo que a empresa em questão e a presidente do Ibascaf é que se retratem, diante da sociedade pelo que ocorreu, tenha sido por erro e engano, sem dolo; tenha sido de má fé, o que constituiria crime.

4) Sendo assim, acredito que levar a investigação ao Ministério Público seja fundamental para dirimir e esclarecer a dúvida. Se está tudo certo e foi um mero engano, como diz a empresa, a Justiça não encontrará nenhuma irregularidade e encerrará o caso. Se não, a justiça saberá gerar as consequências necessárias para as conclusões que venha a obter.


3 comentários:

Anônimo disse...

Tem que mostrar a Alteração Contratual na Junta Comercial, feita em 2012, pode solicitar uma Certidão de Inteiro Teor na própria Junta Comercial, são documentos de fé pública, disponível a qualquer pessoa, basta pagar uma taxa, agora vindo desse governo, não dá para esperar nada, só falta falar que o erro foi do Contador, estão enganando só o Ministério Público. Pesquisar a fundo esse pior governo, as empresas envolvidas vão descobrir coisas bem piores, este esquema foi introduzido na cidade pelo atual prefeito e continuado no segundo pior governo da história de Cabo Frio, estou falando também de Marcos Mendes. Falam mais não explicam nada.

Flávio R. disse...

parabéns a grande resposta.

Anônimo disse...

Esse é o famoso " deu merda ". Kkkkk.... Fico a imaginar sobre os ônibus escolares da prefeitura, sem falar dos fornecedores de alimentos Deve ser interessante tb. Parabéns Rafael pecanha. Precisamos disso.