quarta-feira, 9 de março de 2016

EDITORIAL - A violência não é tão fascinante.



Ao contrário do que diz a canção, a violência não é tão fascinante e nossas vidas já não são mais tão normais. Após alguns dias pensando no assunto, resolvi escrever ligeiramente sobre a atrocidade ocorrida com o filho de um grande amigo neste fim de semana. Um jovem, que teve sua vida ceifada por bandidos armados em estrada na qual tudo acontece e ninguém vê.

Há dias já se sabia que grupos armados abordavam motoristas num radar da Estrada do Guriri, mas pouco se fez. Foi preciso que uma vida fosse tirada para que houvesse ação. Por ali, há animais soltos, violência, perigo, risco, mato, falta de manutenção, policiamento e fiscalização.

O deputado Janio Mendes encaminhou ontem projeto que prevê a redução do horário de funcionamento de radares naquela pista, a fim de que o instrumento, que visa à segurança, não seja usado pelo crime para gerar a insegurança e a morte. É uma medida e um caminho. Junto a ele, certamente teremos reforço no patrulhamento do local e maior rigor ao fiscalizar a área.

A questão é: quantos jovens ainda serão necessários partir para que a sociedade perceba os focos do mal? 

Eu não tenho a menor ideia do tamanho da dor de um pai ao perder um filho. Só de pensar, tenho arrepios. Ao meu grande amigo, toda a minha solidariedade e minha disposição em ser um irmão neste momento. Às autoridades, nosso alerta - o próximo pode ser seu filho.

Bom dia.

Um comentário:

suzam Irene disse...

Se depender das autoridades estamos ferrados pos ninguém faz nada estamos a mercê e só podemos pedir misericórdia