terça-feira, 8 de março de 2016

EDITORIAL - Mais um (o) Dia Internacional da Mulher.


Eu não quero escrever um texto bonito, daqueles com palavras soltas e etéreas, nefelibatas, por vezes pedantes e apelativas - ou pior, vazias e demagógicas - sobre a importância da mulher. Eu não quero dizer que se não fossem elas a gente não estaria no mundo, nem quero ressaltar sua sensibilidade ou beleza. Não porque eu não acredite, defenda e veja tudo isso - ao contrário, enxergo a olhos brilhantes, todos os dias. O problema é exatamente esse: é que hoje não é todo dia, nem qualquer dia, muito menos dia qualquer. Hoje é o Dia Internacional da Mulher. 

É porque nesse dia centenas de operárias morreram, há mais de cem anos, dentro de uma fábrica, porque protestavam contras as condições maléficas de trabalho de então. É porque não tem problema nenhum a gente dar rosas, presentes ou fazer poesias na internet, mas porque precisamos juntar a isso uma reflexão séria sobre a necessidade de se ampliar o papel da mulher no mercado de trabalho, na política e, principalmente, na cabeça dos homens, principais responsáveis pelo fato dela não ser respeitada em seus direitos e em sua imagem como ela deveria ser - não simplesmente "por ser mulher", mas simplesmente por ser humana. 

É que hoje não um dia qualquer. Hoje é dia de pensar porque insistimos em expressões tolas como "sexo frágil" ou em pensamentos ridículos, como o que justifica toda moléstia (verbal ou física) a ela por conta de sua escolha na hora de se vestir. Ou porque continuamos achando - mesmo que lá dentro da mente, de forma bem escondida - algo muito estranho ver uma mulher sozinha num bar ou dirigindo um caminhão, como se isso não fosse problema único e exclusivo dela. 

Eu acho que é por tudo isso que a gente tem um dia como o de hoje. Eu não vou deixar de falar coisas bonitas para ela, de exaltá-la em suas qualidades, até porque eu a acho um ser muito mais completo e capaz do que o homem, me desculpem os companheiros. Mas eu queria convidar você, neste dia, a juntar tudo isso com um minutinho de pensamento sobre essas coisas que incomodam a gente. Porque eu quero me tornar, a cada Dia Internacional da Mulher, um homem que a compreenda mais; que a respeite mais; e que lute mais pela sua dignidade - de verdade, não aquelas da propaganda. É isso. Feliz dia Internacional da Mulher. A propósito, você é linda.

Bom dia!

Um comentário:

Helena disse...

Parabéns a todas as mulheres, guerreiras, amigas, carinhosas..., e por todos os demais dias do ano, em que vocês merecem todo o respeito e amor por sua luta para serem mais, vocês mesmas