sábado, 23 de janeiro de 2016

EDITORIAL - Jornal Opinião (de quem paga).


Um cidadão que não merece o título de jornalista - e talvez nem de cidadão - anda tresloucadamente publicando textos mentirosos sobre a ocupação do Sepe à prefeitura de Cabo Frio, num Jornal que chama de Opinião, mas que não é digno de ser chamado nem de Jornal, e nem de opinião - a não ser que seja a opinião de quem lhe paga, isto é, o prefeito Alair Corrêa. 

Há alguns anos, o rapaz que chegara há pouco em Cabo Frio ia quase diariamente ao gabinete de um vereador da oposição para buscar informações contra o mesmo prefeito a quem hoje serve com adoração. Realmente, não se pode negar que ele tem opinião. Sua opinião é a mesma de quem o sustenta. Seja lá quem for.

Essa sua opinião não possui nenhum impacto em lugar nenhum, gerando apenas o mesmo efeito que todas as declarações de apoio a este governo sórdido geram: o repúdio da população, evidente nos comentários nas redes sociais.

Vandalismo é dilapidar o maior patrimônio público: a dignidade das famílias dos trabalhadores desta cidade. Bandido é quem vende sua opinião para quem mente, desrespeita e rouba ao invés de governar. Refém é a população, aprisionada a uma tirania provinciana de maldades sem limite. Expulsos da prefeitura deveriam ser vocês, políticos corruptos, assessores submissos, asseclas sem moral, opinadores sem opinião e jornalistas sem jornais.

É assim mesmo. Os puxa-sacos sem opinião latem enquanto a caravana passa e a ocupação permanece. Faltam 347 dias para o fim do pior governo da história de Cabo Frio.

3 comentários:

Anônimo disse...

A cara de pau de algumas pessoas é de "tirar o chapéu "...a última do prefeito é afirmar,em post no Facebook,que a sua página foi invadida por hacker...esquece o cidadão, assim como quem o orientou a dizer isso, que discursos escritos são semelhantes a uma impressão digital...ñ precisa ser muito observador pra perceber que,se um hacker usou a página,foi justamente pra publicar a suposta invasão...o estilo de escrita é outro,a expressão "diante de todo o exposto" é quase uma "entregação"...depois que a maionese "desanda", ñ tem salvação...se ñ quer pedir sair,ou ñ for providenciada sua saída de forma compulsória, o jeito é aguentar...agressão em rede social existe, embora absurdamente errada,e um dos maiores incentivadores dessa prática, aqui na cidade, é justamente quem dela está reclamando...ñ adianta se achar acima do bem e do mal...sempre chegará a hora de enfrentar a dura realidade e essa é a hora desse cidadão ...e é só o começo de um fim merecido.

Francisco Carlos de Mattos disse...

Que maldade prof. Rafael Peçanha! Como você consegue fazer um negócio desse com o sujeito? Estou abismado como é que você consegue ser tão sórdido como dessa vez. Peço-lhe desculpas pelo meu preconceito, pois nunca imaginei que você pudesse CHUTAR CACHORRO MORTO!
DE qualquer maneira, ele não merece que percamos nosso tempo falando, mesmo que mal, de um merda como esse. Mesmo após sua morte, ele não merece uma nota fúnebre!
Mas, valeu pelo escracho!!!

Anônimo disse...

O dia que ele morreu, vou ao enterro SIM, para ter a plena certeza que esta figura morreu ou se foi o hacker.