quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Após todos os profissionais da educação receberem, finalmente, o pagamento de dezembro, acampamento termina, mas greve continua.

Após a prefeitura ter concluído o pagamento de dezembro de todos os profissionais da educação na noite de segunda-feira (com 17 dias de atraso em relação ao prazo legal, quinto dia útil), o movimento que ocupou o prédio da prefeitura entre os dias 20 e 21; e que acampou na Praça Tiradentes do dia 21 até ontem, decidiu, em assembleia da categoria, levantar o acampamento em grande estilo - com direito a bloco de carnaval e fechamento da Ponte Feliciano Sodré. A greve, que ocorre desde o dia 8 de dezembro, entretanto, permanece: já são 50 dias de greve, completados hoje.

Foto: Portal RC24H

A ação radical - ocupação e acampamento - foram motivados por um descumprimento radical da legislação, incidindo sobre o direito mais básico do trabalhador: o alimentício, o seu salário. Assim, tendo sido este objetivo mais fundamental alcançado, optou-se pelo desmonte do acampamento, mas pela continuidade da greve, já que ainda reivindicamos o pagamento integral do décimo-terceiro salário e a fixação de um calendário de vencimentos, entre outras pautas.

Após o desmonte do acampamento, os manifestantes seguiram em protesto bem humorado té a Ponte Feliciano Sodré, que, numa ação surpresa, ficou fechada cerca de 40 minutos pelo movimento. Os servidores organizaram um Bloco em "homenagem" à truculência do governo nas negociações com a Educação, com direito a samba-enredo. Uma faixa de protesto contra o descaso da prefeitura em relação à educação foi fixada na Ponte e por lá ficou.


COMENTÁRIO: com muito orgulho, fui um dos 32 ocupantes do prédio da prefeitura no dia 20 e só não passei uma das cinco noites no acampamento da Praça Tiradentes. O que vi por lá foi um grupo aguerrido e forte, que lutou contra a tensão, intimidações e outros males, vencendo ao final. A população apoiou maciçamente o ato, com doações e principalmente com a presença. O movimento foi um divisor de águas, sem dúvida, na relação entre população e governo. Daqui em diante,  cidade nunca mais será a mesma. Parabéns ao Sepe e aos profissionais da educação de Cabo Frio.

Nenhum comentário: