segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Mais uma carta de servidor municipal denuncia o descaso do governo Alair Corrêa.

Mais um mês sem vale transporte. Dois meses consecutivos e alguns mais não consecutivos. Prefeitura não repassa à empresa de ônibus o que de nós é descontado em folha.  

Descontos de empréstimos consignados tanto pela prefeitura quanto pelo banco. Prefeitura não repassa ao banco o que de nós é descontado em folha.

Descontos "inexplicáveis" no contracheque. Inexplicáveis? Sem querer fazer juízo de valor, porém são erros que antes nunca foram cometidos por este mesmo governo. Porque justo agora? Porque apenas nestes últimos 2 meses?

Muitos meses, muitos mesmo, sem água para beber no local de trabalho.

Muitos meses, muitos mesmo, sem papel higiênico em nossos banheiros no local de trabalho.

Muitos meses, muitos, muitos, muitos mesmo, sem telefone e internet por falta de pagamento (e ambos imprescindíveis no meu local de trabalho).

Falta material de limpeza.

Falta material de trabalho.

Tudo falta.

Mas sobram reclamações de pessoas. E somos cobrados. E sim, ouvimos e pedimos desculpas pelos transtornos, sempre mantendo o sorriso no rosto e a educação porque assim somos: educados e prestativos apesar de TUDO. Seguimos fazendo nosso trabalho apesar de TUDO.

Pessoas, chateadas e com razão, por não saberem do que ocorre, culpam a nós, funcionários efetivos e mesmo contratados, por algo que não temos controle. Constrangimentos diários.

E chegamos a nossos lares com uma carga pesada de negatividade. Pelas ofensas dos reclamantes e pela ofensa moral a que estamos sendo submetidos todos os dias, todos os meses, pelo governo municipal.

Servidor público? Sou! Ainda com orgulho, pois minha função independe do gestor. Continuo fazendo meu trabalho da melhor forma possível apesar de tantos contratempos. Pago passagem para trabalhar, compro papel higiênico, água, caneta... Mas até quando? Trabalhar está se tornando insustentável em Cabo Frio. Insustentável financeiramente MESMO. Temos família, filhos, impostos a pagar, luz, água, alimentação...

Sabemos todos que diversos municípios (e o estado) padecem devido à queda dos royalties, mas aí temos a figura do gestor e àqueles que o assessoram. Gestão segura pressupõe prever possíveis problemas, salvaguardar algo que não lhe pertence, pois o cargo/função é temporário. Nada contra ninguém, não conheço a pessoa Alair Correa, mas ele mesmo diz que possui décadas de experiência como gestor! Conjecturando, apenas: ou não é um bom gestor e/ou está muito mal assessorado.

Mas os funcionários padecem. Não sei como será o natal e mesmo se meus filhos receberão presentes de “papai Noel”.

E sem demagogia alguma. Papai Noel não existe.

Mas gestão e governo municipal também não.

Apenas mais um efetivo.



2 comentários:

Deisi disse...

Rafael boa tarde! Há algum posicionamento quanto ao pagamento dos salários? Hoje é dia 7 de dezembro e meu marido que é da Guarda até hoje não recebeu...Até quando essa falta de respeito ao servidor público irá perdurar? A dispensa vazia, as contas vencendos,...Desculpe o desabafo, mas vc é a única luz para nossas angustias...

Olney Vianna disse...

Amigo Rafael.
Ingressamos com uma ACP cobrando os vales-transportes em atraso e o carregamento antecipado destes, em conformidade com a Lei dos Vale-Transporte.
Abraços.
Olney Vianna - SINDICAF