ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

EDITORIAL - Assédio Moral na Educação.


Recebemos ontem duas graves denúncias referentes a Escolas de Cabo Frio, ambas, ligadas à greve de advertência de 48 horas que se inicia hoje na Rede Municipal de Educação.

A primeira diz respeito a uma Diretora de escola que teria "comunicado" aos pais que os alunos que faltassem à aula nos dois dias de paralisação entrariam numa "lista" e não seriam "ajudados" no Conselho de Classe, em clara atitude de retaliação e abuso de poder.

A segunda diz respeito a uma possível comunicação da Secretaria Municipal de Educação a Diretores de escola, "informando" que os funcionários contratados que aderissem à greve deveriam ter seus nomes incluídos numa "lista" para posteriormente serem convocados a um reunião na SEME sexta-feira, a fim de "tratar do assunto".

Ora, ambos os casos, que precisam ser investigados para terem sua veracidade comprovadas, e, se assim o forem, constituem gravíssimo casos de Assédio Moral no ambiente de trabalho, impondo verdadeiras ditaduras, autoritárias, antidemocráticas, inconstitucionais e malignas, em relação aos trabalhadores, pais de alunos e a crianças e jovens - um verdadeiro crime, falta de ética e de responsabilidade.

No que se refere ao caso da Diretora e da "lista de alunos", temos testemunhos de pais em nosso favor e faremos a denúncia formal, assim como no caso da "lista de contratados", já que a conversa entre a direção de uma escola no Grande Jardim Esperança e os professores sobre o tema foi testemunhada por um servidor efetivo.

Não vamos tolerar nem aceitar esse tipo de abuso de poder e intimidação ameaçadora por parte de Diretores ou gestores da Secretaria Municipal de Educação de Cabo Frio. Vamos até o fim na luta por justiça. E não serão essas ações medrosas e covardes que impedirão o povo educador de ir às ruas reivindicar seus direitos. Ao contrário, darão ainda mais energia a todos que se unem contra esses absurdos

Bom dia.

2 comentários:

Anônimo disse...

PROFESSOR , VAI PUBLICAR OU NÃO O CASO DE MARQUINHO. ISTO TAMBÉM FOI UM GRANDE ABUSO DE PODER . OU VOCE SÓ VER OS ABUSOS DE ALAIR

Anônimo disse...

Um absurdo!! Na saúde o assédio tb é grande a ponto de nem se atreverem a reivindicar.O MP tem q começar a agir.