sexta-feira, 13 de novembro de 2015

EDITORIAL - 400 ANOS: quem é o moleque? (resposta ao Prefeito Alair Corrêa).



Não gostaria de falar deste assunto no dia em que nossa cidade festeja 400 anos, data, aliás, que merece sim nossa celebração. Cabo Frio tem muito o que comemorar, por seu passado glorioso; suas belezas naturais; e seu povo guerreiro. No que se refere ao presente, entretanto, há poucos motivos para sorrisos.

Não poderia passar o dia de hoje sem escrever por aqui o que disse ao vivo ontem, no Programa Radar Público, do amigo Alessandro Teixeira. Prefeito Alair Corrêa, acredito que o senhor cometeu um pequeno engano. Ao falar de um "bando de moleques e idiotas" o senhor estava analisando seu próprio governo? Pareceu.

Molecagem, prefeito, é tentar se aposentar sem nunca ter trabalhado pelo Ibascaf, enquanto tantos que já completaram seu tempo de contribuição estão na rua da amargura. 

Molecagem, prefeito, foi o que o senhor fez comigo e com o juiz do nosso processo de dano moral, quando faltou à audiência, fugindo, com medo de me encarar, e informou ao tribunal que estava "reunido com o sindicato" enquanto comemorava seu aniversário no Riala.

Idiotice, prefeito, é humilhar os contratados, pagando um salário de fome, sem data fixa, e deixá-los sem o dinheiro da passagem nem o leite na mesa de suas famílias.

Molecagem, prefeito, é deixar nossa cidade arrasada e imóvel, enquanto tem gente sugando o nosso dinheiro em ricos córregos e livres mares, como se fossem fartas plantações de azeites ou doces vinhos em quintas lusitanas.

Ao ofender o sindicato, prefeito, o senhor ofende a cidade, demonstrando a total ausência de amor e carinho pelo povo desta terra. Mais uma vez, afirmo: o senhor deveria se envergonhar, e o melhor presente que pode dar a Cabo Frio em seu quarto centenário nesta ocasião é o seu silêncio. Que a mordaça que o senhor impõe ao nosso povo seja devolvida ao senhor neste dia, para que, o máximo possível, não venha mais a abrir a boca para proferir tal tipo de sandice.

Mas o prefeito tem certa razão. Somos todos moleques sim. Somos moleques porque, a partir de nossa história sofrida, por vezes, de pobreza e dor, numa cidade que não nos oferece oportunidade, encontramos nosso jeito gingado de driblar os problemas e sorrir do jeito que dá. Somos moleques, porque ensinamos as velhas e caquéticas raposas coronelistas dessa cidade que o nosso jogo de malemolência pode sim vencer as fronteiras da maldade impostas por uma gangue histórica de colarinho branco manchado de sangue com o nosso suor. Sim, Alair, #SomosTodosMoleques.

E é isso. Vamos comemorar os 400 anos de Cabo Frio nessa linha, enquanto vemos, nas ruas, o povo unido e cada vez mais articulado contra o coronelismo que impera  por estas bandas. Venceremos, todos, juntos. Porque nossa terra amada é muito maior do que tudo isso.

Bom dia!

Um comentário:

Anônimo disse...

Molecagem também é não repassar ao Banco do Brasil o valor das parcelas já debitadas de meu salário, logo, o Banco, por não ter sido pago pelo prefeito, retirou os valores de minha conta.
Idem para o Vale Transporte, cujos atrasos, não consecutivos, já chegam há mais de 4 meses (43 dias se passaram desde a última recarga, ocorrida em 1º/10, também com 1 mês de atraso).
E não sou contratado. Sou concursado há longos anos.
E contando os dias para que acabe logo.