sexta-feira, 2 de outubro de 2015

ENTREVISTA - Felício Batista: "Eu posso dizer que o prefeito trouxe o carnaval e ele mesmo enterrou".

3 meses após sua primeira entrevista neste Blog, Felício volta a falar sobre o carnaval da cidade. As perspectivas não são nada boas. E a língua estava afiada.

BLOG - Felício Batista, você é, sem dúvida, uma liderança no universo do carnaval de Cabo Frio. Que futuro você visualiza para o mundo do samba na nossa cidade?

FELÍCIO - O futuro do carnaval e do samba de Cabo Frio é tenebroso, Rafael, a julgar por este mandato do prefeito Alair Corrêa e principalmente este último ano dele, no qual – e esta é a opinião do sambista Felicio Batista – não vai haver carnaval por vários motivos. Eles estão manchados negativamente. Eu afirmo categoricamente: 2016 não haverá carnaval, porque não existe consenso, não existe vontade para que isso aconteça, o que já aconteceu em 2013. Ou seja: 4 anos de mandato, 2 sem carnaval. E em 2014, se a gente não se une, forma uma comissão, pressiona e quase obriga o poder público, nós também não teríamos carnaval. Em 2015, a gente viu aí uma instituição que se dizia criada para representar o nosso segmento das escolas de samba – uma instituição completamente atrapalhada, desorganizada, totalmente despreparada, com um estatuto que a gente percebe claramente que é intencional, completamente política, que não consegue agregar os sambistas, e que diz defender as escolas, enquanto elas nem são filiadas a ela. Como você consegue visualizar um futuro melhor? Eu não consigo, a menos que haja uma mudança radical, coisa que eu não acredito nesse governo, principalmente nessa atual administração cultural. Pelo menos em 2016 eu não acredito. Acho que  agente vai ter é que quebrar muita pedra para recomeçar do zero.

BLOG - Em 26 de junho, você concedeu uma entrevista ao nosso Blog, apresentando alguns prazos prometidos pelo governo, referentes a melhorias no setor cultural, como a reforma da Morada do Samba. Já se passaram 3 meses. Os prazos foram cumpridos?

FELÍCIO - Desde 26 de junho quando a gente concedeu a entrevista a você, a gente vem esperando a promessa da reforma da Morada do Samba, e enquanto isso a gente foi trabalhando. Conseguimos a aprovação do Regulamento do Carnaval. Aconteceram mais algumas falas do Secretário com relação ao carnaval mas nenhum avanço. Toda vez que perguntávamos a ele sobre a obra ele não dizia nada, se esquivava sempre das perguntas. Em agosto participamos do Fórum de Cultura, e, na ocasião, perguntei a ele novamente sobre as obras e ele nada disse. E como você disse – mais de três meses se passaram e nenhum dos prazos foi cumprido. Nós continuamos com a Morada do Samba interditada da mesma forma.

BLOG - Afinal, vai ter carnaval em 2016 ou não?

FELÍCIO - Olha Rafael, eu não acredito que haverá carnaval. Os prazos que o Secretário deu para as obras na Morada do Samba, e todos os pedidos que nós fizemos, para que, ao menos, se realizassem obras emergenciais para que as atividades acontecessem, não tiveram resposta. Isso causa uma ansiedade e uma tristeza muito profunda por parte do sambista porque a gente vê que não há condição de ter carnaval. A Morada está interditada. Não se vê uma preocupação do poder público. A gente pergunta pelo Secretário, ele nada diz... a gente procura pela Superintendência, também nada é dito sobre as obras... então eu afirmo para você com todas as letras: acho que muito difícil, é quase impossível que haja carnaval no ano de 2016.

BLOG - E a Unidas? Com a saída do então presidente, quem vai assumir? Como está o clima entre os presidentes das agremiações?

FELÍCIO - Olha Rafael, a Unidas é um capítulo triste e obscuro desses 15 anos em que a gente volta com o carnaval de Cabo Frio. Engraçado e coincidentemente, quem trouxe de volta o carnaval para a avenida foi o prefeito Alair Corrêa,o que nos causa muita estranheza, devido à falta de cuidado e à falta de atenção que hoje ele tem através do seu Secretário de Cultura. Eu posso dizer que o prefeito trouxe o carnaval e ele mesmo enterrou nesses dois anos de mandato em que não tivemos ou teremos os desfiles (2013 e 1016). Enterrar de certa forma, porque nós estamos prontos para ajudar a mudar esse quadro, através também de uma mudança no Legislativo e no Executivo da nossa cidade. Mas como eu ia dizendo sobre a Unidas, ela é uma página obscura e triste da nossa história, porque ela é uma instituição criada da noite para o dia, é quase que conduzida a mão de ferro pelo presidente Marcos Chaves, porque através de uma ação dele lá atrás – e eu estava presente – ele quase obriga as escolas de samba a se desfiliarem da Liga – não sei por qual razão – e eu quase posso afirmar para você que a vontade dela é que a Liga não existisse, não sei por qual motivo. Porque a Liga é uma instituição de 15 anos, e não se pode sepultar uma instituição com essa história assim. A Unidas hoje é uma instituição com estatuto totalmente falho, que não preserva os direitos das escolas de samba, não agrega ninguém e nem nada, e que a gente sinceramente acredita que não terá futuro promissor, porque foi criada da noite para o dia para favorecer uma meia dúzia de pessoas que têm interesses que não são os da boa convivência dos sambistas e das escolas de samba.

BLOG - Rola um papo sobre ressuscitar a Liga das Escolas de Samba. É verdade? O que você acha?

FELÍCIO - Rafael, mais do que o papo de ressuscitar a Liga eu te digo: não é ressuscitar porque a Liga não está morta. A Liga é um instituição, como eu disse, com 15 nos de história, não morre assim, da forma que as pessoas que estão na Unidas estão tentando fazer. A Liga hoje só não está em pleno funcionamento porque o lado político dessas pessoas que estão à frente da Unidas aflorou, e não deixa que ninguém trabalhe. A alegação era a de que a Liga não poderia funcionar por conta de dívidas e processos, e a gente não entendia que dívidas e processos eram esses. Hoje, depois de fazermos uma análise profunda, com ajuda de advogados e pessoas de dentro do carnaval que entendem do tema, nós descobrimos que não existe processo nenhum; que existe sim uma dívida, mas totalmente negociável; e a nossa luta hoje é essa: a luta das pessoas que querem o bem do samba e do carnaval é voltarmos realmente com a Liga e esperamos realmente que, embora não tenhamos carnaval em 2016 por causa de todo esse imbróglio criado pela prefeitura e a secretaria de cultura, a Liga esteja funcionando perfeitamente, e nós vamos lutar para que em 2017 estejamos a todo vapor, lutando para, mais uma vez, reerguer... (pausa) parece que é a sina do sambista né? Tem uma frase de uma composição que diz “o samba agoniza mas não morre” e eu tenho certeza que esta frase vai estar viva nos nossos corações até o dia em que a gente puder voltar com todas as nossas atividades. 

6 comentários:

Anônimo disse...

Sem carnaval, sem show na virada.... Sem isso não tem turismo. Se tiver será por conta das praias e mesmo assim so na parte do dia

Anônimo disse...

Prezado Senhor.
Me ajude à entender: Não é uma cultura do povo cabofriense esta questão de Carnaval/Escola de Samba/Desfile.É só observarmos, de que láno desfile não temos se quer 1.000 pessoas nas arquibancadas.O que temos é escolas sentadas assistindo desfile da outra.Uma Região com + de 1 milhão de pessoas circulando, não consegue reunir 1%. Por que razão Búzios não tem este tipo de cultura? O que percebemos é que é comum para os "sambistas" ficarem com pires na mão junto ao Poder Público. Quantas festas, vocês realizam por ano, para arrecar fundos de Receita? Saiam das "tetas" do gestor público.Criem asas, se valorizem no seu trabalho.Vocês brigam + do que crianças, quando jogam futebol. Não havendo Carnaval, qual é o prejuízo que à Região teria?

Anônimo disse...

Nada da certo para este prefeito,tem pé frio .tudo que toca ou tenta acaba fadado ao fracasso.

Anônimo disse...

Estou de pleno acordo com anônimo das 13:29, qual será diferença para a arrecadação da cidade, se houver ou não desfile? O povo que vem passar suas férias na cidade o quê mais deseja é praia, um barzinho, dá uma voltinha na feirinha de artesanato, e os cidadãos cabofrienses também, e já está de bom tamanho. Que cada um faça seu bloco de rua e que as chamadas Escolas de Samba - " que criem asas, e valorizem seu trabalho". A teta secou!!!!!

Anônimo disse...

Garanto que a alta cúpula da prefeitura de Cabo Frio, vão passar um carnaval nota mil, nos seus iates, transatlânticos, Europa e no Estados Unidos, debochando da população da cidade, da vontade de citar nominalmente cada uma, mais em respeito ao espaço democrático que é oferecido por você aos anônimos, toda população sabe quem são esses felizardos, até disfarçar são uns incompetentes ou caras de paus mesmos.

Anônimo disse...

Prezado Rafael, apure a informacao de bastidor que as escolas de samba usaram o dinheiro da subvenção pra comprar cerveja, cachaça, compras de mês e até roupa intima e a prefeitura nao consegue aprovar as contas. Essa estorinha ainda vai dar muito o que falar. Bando de sanguessugas.