quarta-feira, 12 de agosto de 2015

EDITORIAL - O ataque do prefeito: um lugar comum.


Seria lugar comum analisar a recente postagem do prefeito Alair Corrêa em sua rede social Facebook, dizendo que, mais uma vez, ele tenta me culpar, bem como a outras pessoas, por outra de suas trapalhadas administrativas – neste caso, o não pagamento do Proedi e o conseqüente manifesto comandado por Taz Mureb. Seria Lugar comum dizer que o governante, novamente, é ofensivo, desrespeitoso e incoerente; que não assume a culpa pelos seus erros e cria culpados para se livrar do problema. Seria lugar comum, mais uma vez, dizer que o mandatário parece sofrer de uma síndrome de pânico político, sentindo-se perseguido, enquanto, na verdade, são seus próprios erros e injustiças que o perseguem.

Seria lugar comum também dizer que Alair, o personagem político Alair, não sabe o que é democracia. Que não entende o direito legítimo de uma população insatisfeita se manifestar; que não sabe dialogar com as categorias, com as bases, com as classes. Seria lugar comum afirmar que este governo não prioriza o artista, o produtor cultural, o cidadão em geral que deseja movimentar a arte no município. Seria, mais do que lugar comum, lembrar que o governante me ataca porque não tem explicação plausível para sua própria incompetência administrativa, por isso, inventa que todos os seus erros são intrigas da oposição – haja intriga então. 

Seria lugar comum dizer que a juventude se manifesta na porta da prefeitura porque a palavra do prefeito não anda valendo muito, já que o mesmo prometeu várias coisas, para várias categorias, várias vezes, e não cumpriu. Seria lugar comum dizer que não é só por causa do Proedi; não é só por causa da Taz. É por causa de todo um mar de indignidade, desconfiança, desesperança, revolta e insatisfação, que qualquer um pode ver nas esquinas e ruas da cidade, bastando, para isso, colocar o pé fora de casa e puxar assunto com qualquer cidadão.

Seria lugar comum, então, dizer que o prefeito, com sua fala raivosa que nos culpabiliza por suas próprias culpas, mostra mais uma vez a total incapacidade de governar a cidade; a total ausência de noção da realidade; a completa falta de senso do ridículo político.

Seria lugar comum concluir este texto dizendo que a postagem nervosa, rancorosa e fantasiosa do prefeito Alair Corrêa contra mim e outras pessoas apenas evidenciam o fim melancólico de um governo e de uma trajetória política que trouxeram dor e pesadelo para a nossa cidade. Seria lugar comum, lembrar que os ataques do prefeito apenas reforçam a certeza de que estamos no caminho certo, pois, ser alvo de quem só atira as flechas do mal contra a cidade, só confirma que a ela queremos bem, a ela amamos de verdade. 

Seria lugar comum, finalmente, lembrar que este novo espetáculo cômico e dramático protagonizado por um governante ultrapassado em sua gestão arcaica, somente nos dá a certeza de que é preciso limpar a velha política de Cabo Frio e colocar em seu lugar uma juventude com sangue novo, a fim de expurgar o antigo ranço coronelista que ainda grassa por estas bandas, especialmente, ao ocupar cadeiras felpudas e macias nos arredores da Praça Tiradentes e da Travessa Maçônica.

Bom dia!

2 comentários:

Anônimo disse...

O tempo passou com mudanças para melhor e não informaram ao déspota, ditador, centralizador que não há + espaço para ele. O tempo, de perseguição, descontrole e, desforra é ultrapassado. Não adianta ter face, email, zip zap, quando suas ações são de coronelista. Aposentadoria faz bem, não pelo IBASCAF. O INSS esta ai. Vai viver seus últimos dias, longe das ribaltas e solitário.Nem os seus o acompanharão.

Anônimo disse...

Os moradores de São Cristóvão poderiam protestar fechando a av. Joaquim Nogueira, e os moradores do guarani poderiam protestar fechando o bairro, quem sabe assim a prefeitura termina as obras iniciadas a dois anos... Fica a dica...