ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

EDITORIAL - Sobre o incêndio no Dormitório das Garças: covarde é o governo (resposta ao Prefeito Alair Corrêa e ao Secretário de Meio-Ambiente).


Na data de ontem, aconteceu mais um incêndio no Dormitório das Garças, fato que já havia ocorrido em 2013, sem contar o homicídio da jovem Natana, no Réveillon deste ano. Os fatos foram recordados pela reportagem do G1 acerca do incidente ocorrido nesta terça-feira (clique aqui e leia a matéria completa).

Em resposta ao comentário feito pelo ambientalista Eduardo Pimenta no Jornal Inter TV sobre o caso, o prefeito Alair Corrêa, mais uma vez, buscou eximir seu governo e a si mesmo de toda a culpa, declarando que mais esse problema é culpa da oposição, do povo, do cidadão, de forças ocultas, dos planetas, do zodíaco e de seja lá mais qual desculpa ele possa dar - menos, claro, responsabilidade de sua administração:


Prefeito, mais uma vez será preciso dizer: o senhor está errado e Eduardo Pimenta coberto de razão. A culpa de mais este incidente no Dormitório das Garças é sim do descaso do seu governo; do abandono conferido pela sua administração ao local, que hoje, sem fiscalização; sem policiamento; sem manutenção correta; sem segurança e sem uso turístico, acaba se tornando alvo, uso e morada de meliantes e criminosos. Não transfira sua culpa e a culpa de seu governo atrapalhado e indolente para o cidadão, prefeito.Não faça isso mais uma vez. E pode ficar tranquilo: o povo dirá de quem foi a culpa de todas estas coisas nas urnas, no ano que vem.

Vozes do governo têm dito, além disso, que o incêndio de ontem foi criminoso. Foi mesmo, afinal, é um crime o governo abandonar uma área tão rica turisticamente, enquanto investe em obras faraônicas; publicidades de valor suspeito e shows de pagamento desconfiável.

O Secretário de Meio-Ambiente, Jailton Dias, afirmou à Folha dos Lagos de hoje que o incêndio teve o objetivo de desestabilizar o governo.

Queria ajudar a reformar a fala e o pensamento do Secretário. Vamos inverter? São as omissões do governo Alair Corrêa - entre elas, a omissão da sua própria Secretaria em relação ao local - que desestabiliza a cidade, os cidadãos, a natureza e todo o que nos cerca. Além disso, Secretário, não é preciso nenhum incêndio para desestabilizar seu governo, que já é instável por natureza - sem trocadilhos. O governo Alair é o próprio incêndio que destrói a cidade e traz a ela a instabilidade.

Enquanto isso, a Secretaria Municipal de Meio-Ambiente segue também seu trajeto inoperante, marcando audiências que são desmarcadas; deixando pagamentos e gastos sem transparência; não cumprindo promessas (o Secretário prometeu ano passado que iria colocar a Polícia Ambiental no local e material anti-chamas na entrada). Só mesmo rezando um terço, em cada processo da Secretaria, para a salvação chegar. Amém.

Mas não há mal que não se encerre. Hoje, faltam 538 dias para o fim do pior governo da história de Cabo Frio. Já que é assim...

Bom dia!

10 comentários:

Anônimo disse...

Professor, quem autorizou a destruição de um terreno, ao lado da Dunas Preta, mais conhecida como morro da Vigia, para o evento de Motos, alegação do evento não ser feito no local anterior, devido a preservação ambiental, e agora, mais uma mega trapalhada, qual a vai ser a desculpa. São uns trapalhões, incompetentes estão ficando sem noção do que é certo ou errado.

Anônimo disse...

Ainda bem que falta pouco....contagem regressiva para acabar esse governo.

Agrocha disse...

É IMPRESSIONANTE VER COMO O PREFEITO TENTA DESVIAR O FOCO DE SUA RESPONSABILIDADE PARA A FALA DO EDUARDO PIMENTA.
O DORMITORIO DAS GARCAS ESTÁ ABANDONADO DESDE QUE ESSE GOVERNO ASSUMIU, SE ESTIVESSE SENDO PRESERVADO DA FORMA DEVIDA, NADA DISSO ESTARIA ACONTECENDO.
MAS, COMO FOI OBRA DO GOVERNO PASSADO, FICA LARGADO A PROPRIA SORTE, ASSIM COMO TANTAS OUTRAS COISAS.

GENTE DE MENTE MESQUINHA!

Anônimo disse...

Rafael, boa tarde.
Bom seria para a atua gestão, dizer, em que período o sr Eduardo, foi Secretário do Meio Ambiente. Fazer 1 desgoverno e, dizer que as coisas ocorrem por causa da Oposição, é ser injusto, irresponsável.Pois quem preza por DIGNIDADE, deve tê-la alta consideração, se dando respeito, cumprir as promessas de RENÚNCIA, que fez aos sindicalistas e por último, faltam 2 dias, para que à mudança para melhor seja sentida pelo povo, pois para pior, só procurando os remédios nas farmácias da Prefeitura que já acabaram e não repuseram. Não posso me identificar, pois sú concursado.

Anônimo disse...

Prefeitura totalmente omissa, sem capacidade para administração,e fiscalização.

Flávio Ferreira disse...

Só faltou colocar a culpa na crise do petróleo e no PCCR....Por falar em crise! Ela vai acabar nesse sábado. Conforme prometeu o Sr. prefeito. Só rindo para não chorar.

Agrocha disse...

SERIA CÔMICO SE NÃO FOSSE TRÁGICO!!

Anônimo disse...

Bom dia Rafael,

Estamos assistindo a falência moral e administrativa de uma cidade RICA e de uma beleza natural indiscutivel.
Um Secretário que só se escuta falar quando temos fatos negativos e um prefeito que mente o tempo todo na maior cara dura...
" NÃO HÁ SISTEMA BOM QUE RESISTA IMPACTO DE HOMENS MAUS."

Amilton Gomes disse...

Tudo no mais absoluto abandono, esse prefeito de terceira categoria queria o que ?
só podia dá no que deu !
ainda bem que no restaurante popular que ele nunca inaugura os bandidos roubaram e não tacaram fogo,pois esta também em completo abandono.
como o ginásio do Jardim que virou depósito de viciados e vagabundo.
O povo merece passar por isso ! pois foram eles que elegeram esse cara,que com essa idade era pra estar passeando e curtindo seus netinhos.

Anônimo disse...

O Dormitório, assim como outros locais de importante interesse turístico (Forte e o Terminal de Barcos) era um posto fixo da GMA de Cabo Frio. Todos, caso eu não esteja errado, hoje carentes de qualquer tipo de vigilância patrimonial e ambiental.

O que houve? Quem determinou a presença, ou melhor, a ausência, de GMs ou GMAs nestes locais? E por quais motivos?