ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

terça-feira, 14 de julho de 2015

EDITORIAL - Por falta de aparelho em hospital de Cabo Frio, mulher só descobre feto morto após 9 dias - O CAOS POR TRÁS DO FATO.


O site G1  e o Jornal Inter TV exibiram ontem matéria sobre o caso de uma mulher que, em Cabo Frio, descobriu que carregava um feto falecido em seu ventre há 9 dias. A reportagem completa pode ser lida e visualizada clicando aqui.

A descoberta só aconteceu quando a cidadã procurou uma clínica particular para a realização da ultrassonografia. Ela deu entrada duas vezes no Hospital da Mulher em uma semana, fazendo queixas de dores e sangramento. No primeiro atendimento, após exame de toque, a mesma foi liberada sem que a médica detectasse a morte do bebê. Isso ocorreu no dia 6.

Na sexta-feira, dia 10, a mãe retornou ao hospital, com sangramento persistente. Foi solicitado exame para verificar a situação, quando então, surpresa: foi dito que o mesmo precisava ser feito em clínica particular, pois a unidade "não tinha recursos para o procedimento no momento": não havia aparelho de ultrassom disponível no hospital.


A resposta do prefeito ao caso nas redes sociais foi a mais desrespeitosa e sem caridade possível:


Ao contrário do que tentou dizer o prefeito, o caso não é pontual, nem sem significância no universo de centenas de atendimentos da rede. Ele mostra sim, por trás do fato, uma série de sentimentos, ausência de sentimentos e intenções do governo municipal, sempre disposto em culpar o cidadão e se livrar de sua própria responsabilidade.

Mais uma vez, analisando o "texto" acima, o governante coloca em todo mundo a culpa do caso - menos nele mesmo e em seu governo ineficiente. A culpa é da oposição; da imprensa; da própria mulher que foi vítima desse descaso - nunca da prefeitura. Nenhuma palavra de consolo. Nenhum pedido de desculpas; Nenhuma palavra de conforte, caridade, compaixão e condolências pelo filho que se foi antes de ter vindo ao mundo. Nenhum sentimento. Apenas um mesquinho desespero em tentar se livrar da culpa, como uma batata quente que se joga na mão do primeiro que estiver pela frente.

Falou-se tanto em caridade para se justificar o programa assistencialista de doação de cestas básicas 15 meses antes da eleição. Porém, neste caso, o que aconteceu com o amor ao próximo, com a compaixão? Será que ela só atua na Promoção Social e é proibida na saúde?

Finalizando, cabe pensar também o quanto a Saúde de Cabo Frio apenas piorou desde que o prefeito resolveu intervir na área. Se a ideia era aplicar um "choque de ordem" ou mostrar pulso e autoridade, o que se viu e o que se vê é exatamente o sepultamento de qualquer esperança paternalista de salvação. É  a prova mais viva de que o barco está sem comandante; o avião sem piloto. Cabo Frio é uma família sem pais,um azarão desgovernado correndo na direção do abismo.

Ainda bem que só faltam 539 dias para esse pesadelo que é o pior governo da história de Cabo Frio ter fim.

Bom dia!

4 comentários:

Anônimo disse...

Professor, de bobo este prefeito não tem nada, esta armado um esquema de inaugurações de obras inacabadas, distribuições de cestas básicas superfaturadas, fornecidas por familiar do alto escalão do governo, estão empurrando com a barriga, vão enrolar o mais tempo possível até aproximar mais as eleições, sabem que o povo tem memória muito curta, vão enganar com o pessoal, que na verdade são os cabos eleitorais remunerados da base de todos os vereadores e pré-candidatos a vereadores, dinheiro eles tem até demais, furar este esquema vai ser muito difícil, principalmente com a oposição dividida e o prefeito vai lançar uns dez candidatos a prefeito, todos do esquema e figurinhas já conhecidas, é para dividir os votos com a oposição, porque o mesmo já tem um número significante de eleitores (SUSTENTADOS PELO ESQUEMA E VEREADORES).

Anônimo disse...

Como que um hospital voltado à mulher, principalmente as mulheres grávidas não ter um APARELHO DE ULTRASSOM? Na verdade deveria ter 02 (dois), pois caso um estivesse com problemas, haveria mais 01 a disposição. Estão de sacanagem...., não tenho outra palavra para descrever este descaso.

Anônimo disse...

O pior que os médicos que ele contratou são os mesmos que ele mandou embora. Verifiquem , se informem nos hospitais e comprovem... Nada mudou... Como um hospital referencia para mulheres pode não ter um equipamento desses? Viva ao prefeito da dignidade. *postei no face do prefeito , e como de costume meu comentário foi apagado e sobraram apenas os que lhe agradavam

Flávio Ferreira disse...

Comentar esses e outros episódios nesse "governo" chega ser cansativo pois o toda a população sabe o que está acontecendo na cidade. O prefeito falou dos 399 partos bem sucedidos mas esqueceu de falar que todos esses partos ocorreram sem muitos problemas....porque se fosse preciso utilizar um aparelho de ultra-sonografia, as parturientes estariam correndo risco de vida...Um hospital que faz uma média de 400 partos/mês não ter um aparelho de ultra-sonografia funcionando! É apenas sorte das mães e dos bebês...nada mais!