ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

sexta-feira, 31 de julho de 2015

As MIGALHAS de hoje.


#Escola 
Tem gerado espanto nos moradores da localidade a demora na conclusão da obra da escola municipal do bairro Samburá, em Tamoios. Há quem diga que a construção foi iniciada há mais de um ano e, até agora, sequer há uma previsão para a sua conclusão. Será?

#Escola II
Parece notícia repetida, mas não é. Tem causado espanto nos moradores da localidade a demora na conclusão da obra da escola municipal Patrícia Azevedo, na entrada da Estrada da Integração. Como acontece no Samburá, essa obra também foi iniciada há mais de um ano e ninguém sabe dizer quando ficará pronta.

#Detalhe
Sim, a Escola Patrícia Azevedo é aquela mesma que ainda funciona em duas igrejas no Jardim Esperança.

#Contrato
Ora, se as escolas são obras públicas, obrigatoriamente há um contrato celebrado com uma empresa, que estipula um prazo para a conclusão dessas obras, certo? Onde está o contrato? Qual o prazo estabelecido nesse documento? Ninguém sabe, ninguém viu...alguém?

#Palavra    
A Prefeitura poderia vir a público e explicar realmente qual o prazo dado a empresa para realizar as construções, isso seria digno. Com a palavra, o governo Alair Corrêa.

#Educação
Talvez a Secretaria de Educação também queira se manifestar especificamente sobre o (dilatado) prazo para as empresas construírem as escolas. O blog está com o espaço aberto para isso.

#Detalhe
Diga-se de passagem, a atual Secretária de Educação já trabalhou por este governo em Tamoios, o que deve gerar, em seu coração, grande apreço pelas obras do Samburá. Assim como, imagino, tenha ficado muito preocupada com aquele caso do furto de água da escola Marli Capp para lavar ônibus de uma empresa próxima a escola. Nosso Blog denunciou o caso em setembro de 2013.

#Clima
Falando nisso, o clima na Secretaria de Educação não parecer estar muito bom. Brigas internas, guerra de vaidades, coisas que apenas confirmam a tensão vivida por funcionários de outras secretarias municipais. Há quem diga que, no atual momento, vale a máxima: "há muito cacique para pouco índio". Que coisa.

#Clima II
Falando agora do governo de um modo geral, o clima entre uma secretária municipal e a irmã de um importantíssimo secretário esquentou de vez, com direito a dedos em riste, tom elevado. Dizem que, por pouco, não chegaram às vias de fato. Calma gente. Em 517 dias isso acaba. 

#Consequência
Tudo isso porque a secretária em questão resolveu dar uma olhada nos processos que são submetidos a ela para assinatura, ao invés de canetar de olhos fechados, como é a tradição do governo. Ao ler as páginas sagradas, não gostou do que viu. Digno, não?

#Papel           

Falando nisso, em nosso Blog, postamos nestes dias que funcionários de algumas secretarias têm que levar papel higiênico de suas casas para o local de trabalho. Tivemos uma explosão de acessos na leitura dessas informações, até orque muitos servidores completaram a lista: folhas de papel A4, pó de café, garrafa de água mineral, biscoito de água e sal e outros gêneros têm de ser importados de casa para as repartições, a fim de garantir a sobrevivência dos servidores em seus locais de trabalho. Onde vamos parar?

Nenhum comentário: