ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

terça-feira, 30 de junho de 2015

EDITORIAL - A vitória do servidor e a renúncia do prefeito – Resposta a Alair Corrêa.




A recente mobilização unificada dos servidores municipais chegou ao fim ontem com o aceite da proposta de 8,13% de reajuste à categoria. Nesse sentido, o movimento, mais uma vez, termina com vitória do servidor sobre um governo injusto e incoerente.

Em postagem pessoal nas redes sociais, entretanto, o prefeito tenta apontar o Sepe como derrotado, citando-me, inclusive, como um de seus diretores – o que não sou, mas que teria muito orgulho em ser.

Prefeito, o senhor não compreende mesmo como funciona um sindicato e um movimento unificado, até porque “democracia” e “direitos dos trabalhadores” são termos que parecem incompreensíveis ao seu governo, que é autoritário, perseguidor e incompetente.

Num movimento, vale a voz da maioria, e não é porque uma parte se posicionou contra que ela é derrotada, pois todos assumem a decisão do maior número como se fosse da totalidade. O senhor não entende porque, em suas reuniões, impõe vontades aos seus secretários, que, submissos e omissos, balançam a cabeça em seu favor, tornando-se motivos de chacota pública. O senhor não entende, prefeito. Não entende porque não consegue.

Ademais, senhor prefeito, se houve algum derrotado nessa história, esse alguém foi o senhor. Chamado de mentiroso em praça pública, no ato do dia 28 de maio, prometeu mostrar as contas da prefeitura e fez uma aposta: se fosse comprovada a impossibilidade do reajuste pelos documentos (o que comprovaria que o senhor não mentia), que os diretores sindicais renunciassem a seus mandatos; do contrário, o senhor renunciaria ao seu cargo. 

Ora, prefeito, o senhor não apenas não nos mostrou as contas como ainda nos concedeu um reajuste cuja proposta saltou 300% em 39 dias (primeira proposta em 19 de maio e a segunda em 26 de junho). Logo, a prefeitura realmente sempre teve dinheiro para o reajuste, pois a situação financeira do município não melhorou 300% em pouco mais de 5 semanas - ao contrário, piorou, pois a parcela de junho dos royalties bateu menos um milhão e cento e cinquenta mil reais. Quem estava mentindo? Quem foi o derrotado?

Prefeito, o seu governo, mais uma vez, perdeu, pois se atrapalhou nas próprias informações, choros e promessas, sendo desmascarado por sua própria incompetência. Vencido pela pressão dos trabalhadores, após quatro paralisações e diversas manifestações, sua gestão foi conduzida por nós, para nos dar um reajuste ao nível da inflação e muito mais próximo do nosso desejo inicial (13%) do que do desejo inicial governista (2%). Assim, mesmo com as tentativas desesperadas de dividir o movimento, nós vencemos e o senhor perdeu

Sim prefeito. Agora, cabe ao senhor tentar provar para a população, mais uma vez, que não é um mentiroso. Chegou a hora de cumprir sua promessa: pelo bem de Cabo Frio, tenha palavra e renuncie ao seu mandato. Será um alívio para todo o nosso povo; a salvação da nossa cidade; e uma página velha e mofada a menos na nossa história.


3 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Prof Rafael, boa noite.
Tinha acabado de tomar o meu café na padaria, que fica na Av. Assunção e deparei-me com o Prefeito, falando da realidade financeira de nossa Prefeitura e, caso não fosse verdade ele "RENUNCIARIA". Pensei, que ele tinha conhecimento do que finanças, pois inclusive ficou de providenciar às cópias, que eu creio que deva ter sido entregue, pois sempre apregoou-se como "homem de palavra". E agora como tal, deve honrar este posicionamento: RENUNCIAR, ou será mantida à palavra da oradora: "MENTIROSO". Para quem tentou desmentir como fica agora???
Não devo me identificar, pois sou funcionário concursado.

Anônimo disse...

Parabéns aos trabalhadores que com muita luta, manifestação e negociação conseguiram vitória com reajuste diante de um Governo injusto e despreparado para negociação.

Anônimo disse...

Só comemorarei tal reajuste quando aparecer, de fato, no meu contracheque!
Honestamente? Uma coisa é bradar aos ventos que deu, outra coisa é verificar, mês que vem, se houve de fato e com os retroativos! Do jeito que conhecemos nosso Faraó, este aumento vai vir em parcelas, como sempre!
Aguardemos!