domingo, 17 de maio de 2015

Sindicatos se reunirão amanhã para discutir, entre outros abusos, o descumprimento de acordo por parte do prefeito, sobre o reajuste compulsório de abril.

A saga dos servidores em busca do que deveria ser dado sem pedir - seus direitos - continua enquanto existe o decrépito governo Alair Corrêa. A última do governante foi "avisar", em seu perfil numa rede social, que faria o pagamento do reajuste compulsório anual - database - de abril até 15 de maio e não cumprir:


Além disso, gira em torno do citado reajuste toda uma polêmica no que se refere ao percentual a ser aplicado. O PCCR determina o uso do IPCA como índice, mas há informações de que o governo desejaria reajustar utilizando os índices inflacionais da FGV, bem menores.

O SINDICAF respondeu, apontando o desrespeito do governo à lei e convocando a categoria para a assembleia de amanhã:




Como sempre, todo o nosso apoio à luta dos servidores municipais de Cabo Frio. Vamos à luta!




3 comentários:

Anônimo disse...

Os Servidores concursados, àqueles que estudaram, se esforçaram, concorreram com mnilhares de outros candidatos, precisam ficar atentos com a administração do atual prefeito. Foi muito reveladora a entrevista concedida a intertv por uma famosa quem mesmo? quando, em conluio com a entrevistadora do programa fizeram ameaças veladas aos servidores públicos concursados. A todo momento elas enfatizavam que um servidor efetivo era quem estava desviando remédios da unidade hospitalar. Devo esclarecer a população de Cabo Frio, que se tem ladrão na Administração Pública de Cabo Frio, com absoluta certeza não é o servidor concursado. Só acredita nessa história quem se beneficia da ladroagem oficial ou quer se beneficiar. Uma pergunta que faço: cadê os 40 milhões que sumiram da Consercaf e o checão de 200 milhões que sumiram entre o 1º e o 2º Distrito? Toma tenência Prefeito muquirana.

Agrocha disse...

Concordo plenamente com o Anônimo de 17 de maio de 2015 às 11:02

O servidor concursado está sendo achincalhado e desmoralizado por esse governo de maneira descarada!

jrenato disse...

Na verdade o PCCR não estabelece um índice em especial. A questão não é o índice, embora a prefeitura utilize o IPCA para reajustar suas taxas e impostos, a questão é que não é o prefeito que decide sobre a revisão do piso municipal, o PMRS; A lei é clara quando estabelece que o COMPARP é quem revisa o PMRS utilizando a inflação do período como parâmetro. O conselho é que tem legitimidade jurídica para estabelecer qual será o reajuste do valor do piso municipal.