terça-feira, 12 de maio de 2015

EDITORIAL - Um movimento político.


O prefeito Alair Corrêa declarou, através da assessoria, ao Jornal Inter TV de ontem à noite, que o ato, a paralisação e a ocupação do prédio da prefeitura de Cabo Frio, realizados ontem de forma unificada pelos sindicatos representantes dos servidores municipais, não passou de um "movimento político".

É claro que o comentário foi pejorativo, na tentativa de desqualificar a ação, que reivindicava uma série de direitos que não têm sido respeitados pelo próprio prefeito.

E evidente, prefeito, que o movimento de ontem foi político e a única possibilidade de o senhor entender isso como negativo é o fato de sua própria história política tê-lo feito desconhecer o real significado dessa palavra. Na verdade, melhor dizendo, creio que seu estilo pouco democrático, autoritário e despreocupado com as demandas populares, tenha desvirtuado o próprio sentido do termo "político" em sua trajetória.

O modelo politico de administração de cidade que o senhor mesmo criou há 18 anos, prefeito, não se chama política. É outra coisa. O senhor criou uma cidade totalmente dependente dos cofres públicos, sem ofertas de emprego em proporção ao crescimento de cidadãos aptos ao mercado. O senhor criou um modelo baseado nos cargos de cabresto, negando-se a investir na atração de grandes empresas e indústrias, bem como de grandes instituições de ensino, a fim de não criar novos profissionais qualificados, nem empregá-los na iniciativa privada, para que o fim desses jovens fosse sempre o mesmo: agarrar-se a uma portaria, deles mesmos, ou de um parente, de um amigo. 

Esse "modelo", espalhado pelo Brasil, faz com que várias cidades não invistam em saúde, a fim de que seus vereadores continuem "ajudando" a população na busca de vagas e cirurgias em hospitais. Assim, com esse ciclo de dependência e submissão, fica mais fácil se reeleger; reeleger seus vereadores; trazer novos Edis para o "time"; ter seus projetos aprovados na Câmara e seguir no poder com esse estilo pernicioso de vida.

Não, prefeito, isso não é política. Política, no sentido real e digno do termo, sem politicagem e acima dos partidos (mas tendo-os como ferramentas necessárias), foi o que os servidores fizeram ontem, que é o contrário do que o senhor tem feito há 18 anos.

Assim, concluo agradecendo por ter reconhecido que sua gestão atrapalhada e o movimento dos trabalhadores contra ela são coisas completamente distintas e opostas. Sim, prefeito, nosso movimento é político. E o que senhor faz, não é política. É outra coisa. E a gente sabe muito bem.

Bom dia!

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelas sábias palavras, o atual prefeito é um câncer para a cidade de Cabo Frio, podemos colocar, sem medo na conta dele o atraso de mais de setenta anos do progresso, Cabo Frio voltara ter um progresso promissor quando o atual gestor e seu nefasto grupo politico afastar de vez da prefeitura.

Filadelfo disse...

Prezado Prof Rafael, boa tarde.
O artigo escrito é bom.Pena, que será tido como político. Afinal de contas ter reajuste salarial na data base não é político. Ter o reconhecimento profissional por aqueles que se diz "representante do povo", não é 1 ato político? Então o que é política para esse pessoal?
Filadelfo