sexta-feira, 1 de maio de 2015

ANÁLISE POLÍTICA DO NOVO SECRETARIADO - Reforma Administrativa no Governo Municipal intensifica centralização do poder e encaminha Cabo Frio para um governo oligárquico. Parentes ganham; aliados perdem.



Na República Velha brasileira,o coronelismo e a oligarquia eram marcas fundamentais. Apesar do poder ser descentralizado, com privilégios para as províncias, as mesmas famílias dominavam a gestão de cada uma delas.

Cabo Frio se encaminha, com a nova reforma administrativa, para uma realidade mais fechada do que a da República Velha: um governo oligárquico – dominado por uma só família – mas também centralizado. Os aliados do prefeito perderam espaço, enquanto os familiares ampliaram seus domínios.

Como anunciamos em primeira mão, a prefeitura passa a ter 13 Secretarias, mesmo número implementado pelo ex-prefeito Marquinho Mendes em sua reforma administrativa no governo anterior, além da Procuradoria-Geral, da Comsercaf em vias de extinção e de todas as Subprefeituras.

Façamos uma análise dos ganhos e perdas políticas do novo quadro administrativo.



1.   Secretaria de Governo – Toninho Corrêa (assume no lugar de Dirlei Pereira).  A pasta englobará as coordenadorias de Comunicação Social (Edinho Ferrô), Eventos (Edson Leonardes) e Estatísticas (Alessandro Jezini) e uma Secretaria Adjunta de Assuntos Governamentais. Um familiar ganha e 4 aliados perdem (um deixa o cargo de Secretário na pasta; 3 deixam de ser secretários e viram coordenadores).

2.   Secretaria de Meio Ambiente – Jaílson Nogueira. Englobará as coordenadorias de Pesca (Cláudio Bastos) e Agricultura (Júnior do PCdoB) e a de Assuntos Fundiários (Brasimar Santanna). 1 aliado mantido; 3 aliados deixam de ser Secretários para virarem coordenadores.

3.   Secretaria de Turismo – Dirlei Pereira. Terá as coordenadorias de Turismo de Negócio e Projetos Turisticos (José Martins). 1 aliado mantido e 1 que deixa de ser Secretário.

4.   Secretaria de Administração – Duca Monteiro. Recebe a Coordenadoria de Defesa do Consumidor. 1 aliado mantido e 1 que deixa de ser Secretário.

5.   Secretaria de Assistência Social – Torna-se uma das maiores Secretarias do governo, nas mãos de Carolina Corrêa. Terá em seu poder as secretarias adjuntas da Criança e Adolescente, Prevenção para Drogas (Cris Mansur), Melhor Idade (Cristiane Fernandes) e da Mulher (Priscila Porto). 1 parente ganha e 4 aliados perdem (deixam de ser Secretários).

6.   Secretaria de Esporte e Lazer – Alfredo Gonçalves. terá a Coordenadoria da Juventude. 1 aliado mantido; 1 deixa de ser Secretário.

7.   Secretaria de Fazenda – Axiles Corrêa. Terá a secretaria adjunta de Tesouraria Municipal. 1 parente mantido.

8.   Secretaria de Serviços Públicos – Rodrigo Paranhos. Terá as Secretarias as adjuntas de Limpeza Urbana, Manutenção da Cidade e Setores Normáticos. 1 parente ganha indiretamente, já que Rodrigo é ligado politicamente a Toninho Corrêa.

9.   Secretaria de Educação – Juciara Dimas entra no lugar de Elenice. Passa a ter as Secretarias adjuntas de Ciência e Tecnologia; e Assuntos Pedagógicos. 1 aliado perde, mas outro ganha (Elenice x Juciara). 1 parente perde: Carrerete, da família de Sávio, genro do prefeito, deixa de ser Secretário.

10.               Secretaria de Obras – Paulo Castro. Terá as Secretarias adjuntas de Planejamento, Indústria e Comércio (Milton Roberto) e Habitação. 1 aliado mantido; 3 perdem (deixam de ser Secretários). 1 parente mantido indiretamente, pois o genro Sávio possui relações políticas com o setor de obras.

11.               Secretaria de Transportes – Vitor Moreira. 1 parente mantido indiretamente, pois Vitor é ligado politicamente a Toninho Corrêa.

12.               Secretaria de Ordem Pública – Renato Vianna. 1 aliado mantido

13.               Secretaria de Saúde – Carlos Ernesto. 1 aliado mantido.


Procuradoria Geral – Dr. Campos. A pasta engloba ainda a Controladoria do município, Com Dr. Cotia . 1 aliado mantido. 

Comsercaf – Memeco da Proced, ligado politicamente a Toninho Corrêa, assume a autarquia em vias de extinção. 1 parente ganha indiretamente.

Resumindo: Os parentes ganharam com a reforma e os aliados perderam. Axiles, irmão do prefeito, se manteve Secretário. Sávio, genro do prefeito, manteve o poder sobre as obras, mas perdeu a Secretaria de Ciência e Tecnologia, que virou Coordenadoria. Toninho Corrêa ganhou a Secretaria de Governo e os poderes que eram de Ferrô, Leonardes e Jezini, mantendo ainda o poder sobre a Comsercaf e os Transportes, passando a influenciar agora também a Secretaria de Serviços Públicos. Carolina Corrêa, filha do prefeito, manteve seu poder sobre a Assistência Social, englobando ainda os poderes de ligados a Cláudio Mansur; Emanoel Fernandes e Walmir Porto.


Os parentes ganharam poder e os aliados perdem. Alair se isola cada vez mais na família e exclui os parceiros políticos, centralizando o poder de forma oligárquica:



Aliados excluídos ou rebaixados: Cláudio Mansur, Emanoel Fernandes, Dr. Paulo César, Walmir Porto, Edinho Ferrô, Édson Leonardes, Alessandro Jezini, Cláudio Bastos, Brasimar Santanna, Juliano Almeida, José Martins.

Além disso, fica claríssima a preferência de Alair por Toninho Corrêa, que muito ganhou, como Genro 1, em detrimento de Sávio, que pouco ganhou e ainda perdeu, o Genro 2.

6 comentários:

Anônimo disse...

Além do prefeito cada dia mais querendo ficar com aparência igual ao ex-prefeito, agora até na quantidade de secretárias, mais na realidade tudo enganação, aliados não perderam nada, vão continuar tendo o esquema todo, o prefeito só maquiou os cargos, mais vai continuar toda a bagunça, o que é de praxe desse governo desastroso. Portarias, funcionários fantasmas, esquemas das empreiteiras, fornecedores, tudo vai continuar, é afronto a justiça brasileira e principalmente o povo, que ainda acredita em gente dessa natureza.

Anônimo disse...

Prezado Prof Rafael, boa tarde.
Esta "dança das cadeiras", trará Secretários eficientes ou bonzinhos politicamente?
Estes que eram Secretários e passaram para Coordenadores, não perderam R$ 800,00 por mês.Quem deverá reclamar é o Leão, pois a questão da competência, nem tanto.
Na realidade, trocamos: 3+ 3 por 2+ 2 + 2. Tudo antes na terra de Abrantes.

Anônimo disse...

Quem derA que fosse uma família só.

Anônimo disse...

Rafael vc não ficou sabendo das notícias que o repórter do SBT ,chama o prefeito de Cabo Frio na chincha .mandando até tomar vergonha na cara de colocar culpa nos royalts .com o comentário dos parques em Cabo Frio,inclusive ele mostra que 1 parquinho foi reformado ano passado ,procure ver ,tem + ou - uns 4 dias atrás.

Rafael Peçanha disse...

Amigo, falamos no Blog sobre a reportagem do SBT sim: http://rafaelpecanha.blogspot.com.br/2015/04/reportagem-do-sbt-mostra-em-rede.html

Abraços!

Anônimo disse...

No mais contraditório enredo a la cabo frio, em terras bananense, um governo republicano é caracterizado pelo coronelismo e a oligarquia, "o governo de alguns", talvez seja a maior prova do grande culpado, o povo, que continua votando nesta gente. Ou será a educação? Pois votam mal, e não devem saber o que é oligarquia! O bizarro foi outro dia perceber em uma matéria publicada na mídia que o prefeito não se importava com os comentários sobre improbidade administrativa, entretanto quando se falou em enriquecimento ilícito ele pulou! Sabem porque? Enriquecimento ilícito o povo sabe o que é!!E neste caso o ladrão é o prefeito e sua turma (quadrilha)!!! Triste!!!