terça-feira, 3 de fevereiro de 2015


#Faceiro
Quem caminhava faceiro pelo Boulevard Meira Júnior na manhã de ontem era o blogueiro Totonho. Agora dedicado às atividades físicas, o rapaz sustentava sobre os ombros um suspensório italiano de dar inveja, inclusive, ao também amigo professor Carlos Sepúlveda.

#Bom
Aliás, os blogs do Totonho e do Vinícius Peixoto têm merecido nossa leitura. Os links dos mesmos encontram-se na barra lateral deste.

#Novidade
A novidade que circula pelos corredores da prefeitura é a notícia de que o prefeito teria suspendido – informalmente, claro – a concessão de aposentadorias a servidores com esse direito. O fundamento seria simples: não haveria dinheiro para pagar a conta, já que, quando sai de cena um funcionário, é preciso que se entre outro.

#Novidade II
Vários processos de aposentadoria estariam finalizados, dependendo apenas da assinatura do governante, o que não estaria acontecendo exatamente por conta das despesas municipais. A informação vem dos próprios servidores que buscam esse direito, havendo testemunhas de que a notícia foi dada por funcionários do próprio governo.

#Novidade III
O caso diz respeito a mais um absurdo da atual gestão. Na necessidade de se cortar gastos, corta-se na carne do servidor, com o atraso de sua férias; com a negação de sua aposentadoria; com o “esquecimento” do 1% de reajuste anual obrigatório; com o pagamento do contratado em valor inferior ao concursado.

#Prioridades
Por outro lado, investe-se em shows e obras de valores suspeitos no centro da cidade, esquecendo a existência da periferias.

#Resumo
Não estamos em crise por causa dos royalties. Estamos em crise porque nossos governos não sabem gastar, porque não sabem priorizar seu povo e porque escolhem tirar do bolso do trabalhador sempre que necessário. Simples.

#Detalhe
É claro que essa “novidade” do governo contra o servidor não vai ficar por isso mesmo. Vamos à luta.

#Eleito
Jorge Picciani (PMDB) foi eleito presidente da Alerj ontem à tarde com 65 dos 70 votos da Casa.

#Papo
O deputado Janio Mendes teve uma longa conversa com o governador Pezão (PMDB) ontem. Na pauta, os problemas da região dos lagos e as eleições de 2016.

Um comentário:

Anônimo disse...

Professor Rafael alguns professores que deram entrada na aposentadoria e que se aposentariam agora foram orientados a "vender" sua aposentadoria, trabalhando mais um ano e recebendo um "extra" por isso. Como uma prefeitura que diz estar com problemas financeiros tem dinheiro para fazer uma coisa dessas? Isto é legal? Nunca vi acontecer uma coisa dessas em nenhum outro lugar: comprar a aposentadoria de um funcionário.