segunda-feira, 19 de janeiro de 2015


#Teste
Alair ficou notabilizado como prefeito da cidade nos anos 90 quando o boom dos royalties o beneficiou como administrador, permitindo obras e shows megalomaníacos pipocando pela cidade. Vamos ver como se sai agora com o corte nos repasses.

#Perdidos 
O pessoal que fica à frente dos blocos e escolas de samba em Cabo Frio está desesperado por conta das mudanças nos gastos da festa e o adiamento da segunda parcela da subvenção para fevereiro, vésperas dos desfiles.

#Perdidos II
O carnaval de Cabo Frio precisa urgentemente caminhar para sua independência financeira via iniciativa privada. Para isso, os presidentes de agremiações precisam se movimentar e o poder público precisa promover essa relação.

#OqueFazer?
O governo precisa ser o condutor e o gestor dessa gradual passagem do carnaval para as mãos da iniciativa  privada, intermediando os primeiros convênios, na mesma medida em que, paulatinamente, reduz a subvenção, de maneira que, no mínimo, cada escola passe a receber das empresas o mesmo que é cortado do repasse municipal. Se fizermos um planejamento de 5 anos, com redução de 20% das subvenções a cada um deles e o compromisso do governo em promover a entrada do poder privado em seu lugar na mesma proporção, teremos, ao final desse período, a independência econômica dessa festa grandiosa.

#Problema
O problema é a mentalidade do governo. Cabo Frio optou por não atrair grandes empresas para a cidade nas últimas décadas, preferindo confiar na própria prefeitura como "geradora de emprego" para a cidade, obviamente, com interesses eleitoreiros. Temos uma folha de pagamento que beira os 10% do eleitorados diretamente, e deve alcançar indiretamente a metade dele, enquanto a empregabilidade privada, ainda que existente,  é insegura, instável e de baixa remuneração, criando uma população sempre dependente do poder público - exatamente o que nossos governantes querem para permanecerem sendo reeleitos ou se revezando no poder.

#OqueFazer?
Cabo Frio precisa atrair grandes empresas, reduzindo custos de instalação, como fez Rio das Ostras e São Pedro da Aldeia, girando a demanda empregatícia e criando um novo mercado, com uma nova empregabilidade na cidade. Em paralelo, precisa atrair a qualificação mínima dessa nova demanda a surgir, através de convênios com o Sebrae - que já existe na cidade - e com o Sistema S por completo. Basta coçar o bolso e reduzir impostos: os gastos são pequenos e o retorno é grande. Basta querer libertar o povo da mendicância política e do clientelismo que os próprios governos municipais criaram para ganhar eleições por aqui.

#Palavra
O prefeito de Cabo Frio mais uma vez não cumpriu sua palavra. Em outros anos, ele garantiu que não permitiria eventos na alta temporada, em janeiro, e chegou a mudar a data do Cabofolia, no ano passado, o que foi comemorado como uma grande vitória. Neste ano, entretanto, ele não só permitiu, como a prefeitura apoia o Festival de Verão exatamente na data de um feriado na capital. 

#Palavra II
Apenas para relembrar, o presidente da Comsercaf, na época, foi um dos comandantes da mudança da data do Cabofolia - agora, a autarquia e prefeitura apoiam o Festival de Verão. Quem não se lembra? Clique aqui e recorde. 

#Detalhe
Nada contra um grande evento privado para atrair turistas e moradores para a cidade. É justo e bom para o município. A questão é a incoerência da gestão municipal ao tratar do assunto das datas, "mudando de opinião" de um ano para o outro.

#Limpeza
O governo municipal defende que Cabo Frio ainda é a cidade mais limpa do Brasil (clique aqui e leia mais). Mas os moradores da própria cidade e a imprensa fora dos muros da prefeitura pensa diferente (clique aqui para saber mais). Quem está com a razão? Prefiro acreditar no povo.

#Lotação
Um relato sincero e interessante sobre o caos da superlotação de Cabo Frio neste verão foi escrito pelo professor Fábio André, da UFRRJ. Vale à pena ler, clicando aqui.

#Refazendo
A obra no Boulevard Canal, que consistiu na troca das madeiras do deck, e que não teve seu valor exposto na placa, como pede o Ministério Público, está sendo refeita? É isso mesmo? Está virando moda - já aconteceu na Joaquim Nogueira e no Gamboa Shopping. Que coisa.

#Reelegendo
Dois municípios brasileiros foram às urnas de novo neste domingo. Em Cambira, no Paraná, Maurílio Alves (PSB) derrotou Emerson Toledo (PSDB). Já em Santa Maria, no Pará, Alcir Costa, também do PSB, levou a melhor sobre...ninguém. Ele foi candidato único e teve 100% dos votos válidos.

#Reelegendo II
Almirante Tamandaré do Sul (RS) e Itápolis (SP) voltarão às urnas também em 2015, no dia 1 de março.

Um comentário:

Julio disse...

Em relação ao teste da queda dos royalties , não seria exatamente um teste para o prefeito, mas sim para a população. Vai ser um balde de sal grosso na "administração playmobil" do prefeito. E os fogos?

No turismo eu acho que não vai afetar em nada. A cidade possuí uma secretaria de turismo muito eficiente com uma "administração dragão chinês". Ou seja três cabeças pensantes.


Já que eu não gosto de assistir esses shows realizados pelo prefeito e "patrocino" shows para visitantes e moradores convidados, que pensam que são para eles , o prefeito deveria pagar a minha entrada no show do Foo Fighters domingo no Maraca.