sábado, 29 de novembro de 2014

EDITORIAL – As Dunas do Peró como símbolo de uma péssima tradição.




A estratégia da mídia governista em tentar tornar as obras nas Dunas do Peró “normais” fazem parte, na verdade, de uma tradição negativa, que perpassa vários governos municipais nos últimos anos.

A Lei Municipal 1968 de 2006, que altera o zoneamento da área, permitindo a obra, aponta para mais uma alteração pontual numa zona da cidade, ao invés da mudança geral no ordenamento municipal, atitude esta que, como discorremos em nosso livro “O outro lado da ponte”, é uma constância na história da administração local.

Funciona da seguinte forma: a partir do momento em que há interesse em edificar uma área, altera-se seu zoneamento, sem mexer no entorno, nem na estrutura organizativa do território da cidade. Não há a preocupação com o contexto zonal do município – apenas com o atendimento do empreendedor num projeto especifico, em área determinada.

Isso leva ao fato, por exemplo, da nossa Lei de Zoneamento ser de 1979 – isso mesmo, anterior mesmo à Constituição, de 1988. De lá para cá, nenhuma reforma estrutural, que pense a cidade como um todo, adaptando sua organização territorial aos novos tempos e ao futuro. Apenas mudanças especificas para atender a projetos de interesse financeiro em áreas determinadas.

Isso leva a, por exemplo, a nova Lei de Zoneamento, que deveria ter sido aprovada junto à Lei Geral do Plano Diretor, em 2006, estar ainda em forma de projeto, o que faz com que nossa cidade siga uma legislação de 35 anos de idade.

E depois não querem que discutamos a cidade que queremos. Muito provavelmente, porque não querem que ninguém queira uma cidade diferente da que eles estão a vender.


Bom dia!

3 comentários:

Anônimo disse...

Nobre Professor, analisando todos os fatos que estão acontecendo e que vai acontecer pior ainda, na cidade de Cabo Frio, todo mundo sem exceção, sabiam que esse atual governo seria um fracasso total, basta lembrar o primeiro governo desse prefeito, nos dois últimos governos ele só teve sucesso porque todos do grupo do Prefeito José Bonifácio migraram para o grupo dele, inclusive Marquinhos Mendes e CIA, ele foi bem assessorado, com boas cabeças pensantes, e hoje o grupo dele é o pior em espécie que tem em Cabo Frio, brincam com a população, sem nenhum respeito com a moral e ética, não esta na hora do povo se manifestar, ou vamos cair mais uma vez na armadilha, pois grana eles tem para gastarem nas compras de votos. Meus sinceros agradecimentos por este meu sincero desabafo.

Julio disse...

A natureza é tão bela. E certos humanos tão estúpidos. Vamos sair de trás das árvores, por favor!

Filadelfo disse...

Prezado Anônimo, bom dia.
O sr disse à grande realidade:"...grana eles tem para gastarem nas compras de votos".Ou seja: em sua grande maioria dos eleitores que lhe deram esta outorga através, encontram-se este "tipo de eleitor". A pergunta que podemos fazer è a seguinte: Com que autoridade,moral e ética estes eleitores, poderiam reinvindicar alguma coisa desses gestores? Não é nenhuma "armadilha" não.Não é necessidade não. É caráter distorcido, dos valores, que em sua grande maioria, receberam na escola, mas não tem nenhuma consciência de cidadania.Votam, naqueles que lhes pagam mais. Na atual conjutura política, essas pessoas não desejam melhoras em nenhuma área da cidade.Eles se venderam e, à preço "de banana".Consciências "adormecidas".Diante desta realidade, só podemos esperar que à contagem regressiva de 2016.
Filadelfo Filho - Funcionário Concursado (1976), Anistiado do Governo Collor (2011) no BNDES - 2º maior Banco de Desenvolvimento do Mundo, tendo obtido no 1º Semestre, 1 lucro histórico de R$ 5,470 bilhões.