segunda-feira, 3 de novembro de 2014


Caro Rafael, o Programa Mais Educação, no município de São Pedro da Aldeia, anda mal das pernas. Não em relação aos profissionais (professores e monitores) que atuam nas escolas - e a situação só não está pior por conta do compromisso desses profissionais.

Pois bem, o que foi que aconteceu? O prefeito e o Secretário de Educação, numa atitude de extrema sapiência, cortaram a dedicação exclusiva dos Coordenadores do Programa, fazendo desandar algo que, até julho, estava dando muito certo. Ora, um programa de tempo integral precisa de coordenadores nessa mesma dinâmica! É a lógica do negócio! Mas como a sabedoria reina na esfera governamental:cortar gastos em áreas que trazem prejuízos à população, o corte aconteceu onde não deveria.

Diante disso, os Coordenadores do Programa, se desdobram, dividem carga horária e se sobrecarregam de tarefas em suas residências, porque na escola não há mais tempo para isso. Consequentemente, com apenas metade da sua carga horária, não há como atender a comunidade que procura esclarecimentos, o acompanhamento das atividades dos monitores fica prejudicada, o atendimento aos alunos, alvos do programa, fica deficiente, o que dá a visão de bagunça!!

Por conta dessa inteligência, os alunos começam a evadir!!Isso é lamentável porque a intransigência reina e a situação não se reverte!! 

É importante ressaltar que esta política entrou em ação após o Censo Escolar e o registro dos dados do programa no sistema do MEC. Nessas operações, os Coordenadores do Programa Mais Educação foram vinculados com a carga horária que o programa exige (40 h), já que funciona em tempo integral. Agora, acontecem duas situações: no sistema, os Coordenadores aparecem, acredito, com carga horária integral, mas, na realidade, atuam com carga parcial. "Isso pode, Arnaldo?" Fica a dúvida.

Para completar, funcionários aposentados (nada contra aposentados retornarem ao trabalho!!) reassumiram novas funções com dedicação exclusiva!! O que se pode entender disso? Corta-se de alguns para pagar a outros!! Uns recebem 3 vezes (aposentadoria + 40 h de trabalho), enquanto outros deveriam receber 40 h por força do próprio programa federal.

É dessa forma, amigo Rafael, que presenciamos a política que impera: intransigente, nada inteligente e desequilibrada!! Precisamos dar um basta nesse "manda quem pode, obedece quem tem juízo!!".

As coisas continuarão dessa forma, Senhores Prefeito e Secretário de Educação de São Pedro da Aldeia?

Ass.: Um Cidadão!!

COMENTÁRIO: Caro cidadão, infelizmente, as melhorias em educação têm mesmo sido tratadas como gastos renegados a segundo plano pela nossa região. Cabo Frio, com sua atual gestão e também com anteriores, mostra essa ferida, mantida de maneira injusta e desumana. Enquanto os gestores não perceberem que educar é investimento, e não prejuízo, jamais teremos a mudança.Confio que poderemos mudar o quadro quando colocarmos à frente da cidade, no Executivo e no Legislativo, pessoas de fato comprometidas com a justiça social e a formação crítica do povo. Vamos em frente. Um abraço e obrigado pela sua coragem.

Um comentário:

Julio disse...

Rafael caderno "será coisa do passado" em PAGODE CITY, segundo um tabloide Alairzista os tabletes já estão chegando. Será que chega antes do termino do ano letivo de 2100?
Anota aí, o código de rastreamento: SÓJESUSBR