ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

OPINIÃO - Cabo Frio em queda na educação: o que fazer?

Apontar soluções imediatas e certas para o problema da educação municipal em Cabo Frio, evidenciado claramente nos números do IDEB em 2013, é atitude que carece de ponderação. Dizer se esta ou aquela ação resolverão o problema; e mais: se a mera adaptação da rede municipal aos números significa a ampliação de sua qualidade, são discussões complexas e difíceis de serem respondidas apenas em algumas linhas.

Mas é fato que Cabo Frio precisa urgentemente de um choque de gestão na educação - uma ruptura verdadeira, e não meramente para ser anunciada em peças publicitárias bonitas com pouca realidade.

Nossa cidade precisa, a curto prazo, criar um planejamento de preparação mais apurada de nossos alunos para a formação da cidadania; o conhecimento dos próprios direitos; a inserção com qualidade no mercado de trabalho e com consciência na sociedade. É preciso investir em transformar o aluno, ao mesmo tempo, num conhecedor apurado das principais questões técnicas - como as que são abordados na Prova Brasil, mas também no ENEM e em outros concursos - mas também num observador e ator crítico dos processos sociais de sua própria realidade. 

Essas duas formações não são opostas - ao contrário, podem e devem ser oferecidas em paralelo. O problema é que hoje nem uma nem outra são doadas como política pública de educação aos nossos jovens e crianças.

As prioridades do município são outras, como por exemplo, economizar com os baixos salários dos professores contratados; e "investir" numa formação continuada do professorado de maneira arbitrária e ufanista; ou dedicar as finanças do Fundeb e da alimentação escolar para meios e fins pouco relacionados aos ideais de uma educação autêntica, autônoma, transparente e justa.

A médio e longo prazo, é preciso transformar as estruturas cotidianas de nossos prédios e comunidades escolares. Não se envolve pais e amigos fora do muro da escola com reuniões fatigantes e sem atrativos dentro dos muros dela. Não se incentiva o aluno ao conhecimento com sistemas quase-prisionais dentro e fora de sala, ambientes nos quais o poder público mal oferece ferramentas e elementos compatíveis com os recursos interessantes às contemporâneas idades escolares. Não se cria o interesse do alunado pelas provas, concursos, prêmios e congressos sem que se mostre a ele tal importância, divulgando-a, conhecendo-a e premiando-a. Não se transforma professor e aluno em pesquisadores sem investimentos em projetos de pesquisa, premiados, divulgados e incentivados, por vezes, sem um centavo do orçamento municipal. Não se cria um alunado crítico e transformador, numa educação integrada e integral, sem conectar a estrutura (física e existencial) da escola com o bairro; os aparelhos urbanos; e as instituições e entidades sociais da cidade. 

Mas principalmente: não se transforma uma educação numa cidade sem vontade de transformá-la. Enquanto nossos governantes, seja no Poder Executivo ou no Poder Legislativo, não se decidirem, mesmo pessoalmente/individualmente, por abandonarem prioridades pouco republicanas dentro da área, afim de empreenderem esforços conjuntos e coletivos com objetivos voltados para a população; enquanto os mesmos não optarem, como meta de vida política e pessoal, por deixar de lado os próprios interesses, ganhos e vantagens, para fazer jus às funções para as quais foram eleitos ou designados, preocupando-se mais em fazer história e mudar a história da própria cidade do que em se beneficiar pessoalmente, não haverá mudança alguma.

Fica a dica, a sugestão e a opinião.
Um dia a gente chega lá.
Bom dia a todos.

4 comentários:

Anônimo disse...

Isso não é novidade nenhuma ,nossa educação é sempre desastrosa quando este prefeito está na gestão .Ele não tem guadro técnico para nada ,é também acha que educação é mais um item da cesta.

Anônimo disse...

Como pode o povo votar nesse prefeito que só pensa em obras faraônicas.Acreditem se quiser desde quando ele assumiu a prefeitura,não se comprou nem mais uma agulha para as escolas. Na merenda falta tudo,tem diretora comprando arroz,feijão com dinheiro da cantina,isso quando a escola tem cantina.Infelizmente o povão não fica sabendo desses absurdos.

Anônimo disse...

Correção . Quadro .

Anônimo disse...

As pessoas devem lembrar que teve um governo ,que este mesmo prefeito deixou todo os funcionários 3meses sem receber. Vou rir muito se fizer de novo .O POVO SÓ APRENDE DESSE JEITO ,E OLHE LÁ ,SENÃO ESTE SR. NUNCA MAIS SERIA NADA EM GESTÃO PÚBLUCA. EXISTE UM FATO ,NUNCA TEVE NADA ,AGORA É UM DOS HOMENS MAIS RICO DA REGIÃO .ISDO SEM TER RECEBIDO HERANÇA,SEM TIRAR NA LOTERIA. Mistérios .