ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Em entrevista coletiva, prefeito Alair Corrêa recua, aceita derrota para o movimento popular, e se compromete a não permitir a retirada do Ensino Médio da Rede Municipal.


Em entrevista coletiva que acabou agora há pouco, concedida no salão da prefeitura de Cabo Frio, o prefeito Alair Corrêa aceitou mais uma derrota para a movimentação organizada da população de Cabo Frio e se comprometeu, ainda que apenas verbalmente, a não permitir o fim do ensino médio municipal.

O governante recuou após a pressão exercida pela mídia impressa e virtual, bem como por alunos, ex-alunos, professores e cidadãos de Cabo Frio, especialmente, através das redes sociais, com o movimento #FICARUI. Em 2 dias, quase 1.500 pessoas já faziam parte da página do movimento na rede social facebook e quase 500 já haviam confirmado presença na assembléia promovida pelo Colégio Municipal Rui Barbosa, que está mantida, e acontecerá nesta quita-feira, dia 2, às 14h, na Associação Atlética Cabofriense.

A ENTREVISTA
Na entrevista, o prefeito declarou que confia nas decisões dos técnicos do seu governo, mas que reprova uma entre cada 10 decisões, em média, por terem caráter ou efeito político – e essa foi uma delas. Assim, declarou que irá pessoalmente à câmara pedir aos vereadores que não aprovem qualquer pedido que chegue à Casa Legislativa sobre o fim do ensino médio, e a consequente passagem das vagas de matrícula para o governo do estado.

ACEITANDO NOSSA EXPLICAÇÃO
O prefeito aceitou a “explicação” que a ele ofereci neste blog e na Rádio Estação 104: A LDB fala sobre prioridades nos níveis de ensino, não impede que o município cuide do ensino médio. O governante repetiu a fala direitinho, com detalhes. Agradecemos a preferência.

MUDANÇA DE PRÉDIO
Enquanto a Secretária Municipal de Educação permanecia na última cadeira à sua esquerda em silêncio, o prefeito disse ainda que se a comunidade escolar do Rui Barbosa quiser e assinar um pedido com maioria, ele pode acatar e transferir a escola para um novo prédio com mais espaço.

DEMORA
O governante disse ainda que demorou para convocar a coletiva porque achou que sua nota pessoal publicada numa rede social no dia seguinte ao início do movimento #FICARUI iria resolver o problema.

ATAQUES À IMPRENSA E À OPOSIÇÃO

Finalizando, o prefeito destilou seu ódio e rancor para cima da imprensa e da oposição – especialmente, na direção do Jornal Folha dos Lagos e deste blog. Afirmou que a análise do jornal, comparando as obras da Orla da Praia do Forte e da Esplanada das Secretarias com o investimento em ensino médio era “ tolice”. O prefeito disse ainda que o diário agiu de forma “demagógica e cínica”, porque, segundo ele, “a mídia não pode ficar zangadinha”. Para concluir e manter a tradição, disse mentiras e inverdades a meu respeito, que ele não poderá provar nos tribunais, quando, nesta semana, eu abrir contra ele um novo processo por dano moral, já que ele fugiu da audiência da primeira ação que abri no Juizado Especial Cível, mentindo para o juiz, ao apresentar, como justificativa da falta, uma reunião com sindicatos que nunca ocorreu. Espero que ele não fuja mais uma vez.

NOSSA ANÁLISE – Rafael Peçanha.
A fala do prefeito tem o objetivo claro de desmobilizar o movimento de pressão popular que tomou conta da cidade desde segunda-feira. 

Seu compromisso verbal é estranho: ele vai pedir aos vereadores para não votarem a favor de qualquer pedido de transferência das vagas de ensino médio para o estado – mas este mesmo pedido, pela Lei Orgânica, só pode ser enviado por ele mesmo (prefeito) ou solicitado por requerimento de 1/3 de vereadores.

Prefeito, vou explicar com bastante calma: se o senhor não enviar o pedido, nem seis vereadores o pedirem, não tem proposta de fim do ensino médio em Cabo Frio. 

Além disso, nada garante que isso de fato irá acontecer, até porque promessas feitas não têm sido cumpridas constantemente.

O prefeito acha que notas pessoais numa rede social têm caráter de compromisso público. O prefeito acha que 9 entre 10 decisões do seu corpo técnico são boas. Ele precisa rever, urgentemente, o que ele acha que significa governar esta cidade.

De maneira nervosa, certamente, por raiva da nova derrota política que sofreu, atirou em todos que se movimentaram para evitar tal absurdo, que, claramente, era seu desejo; de sua Secretaria de Educação; de seu corpo técnico e de seu grupo político.

A assembleia de quinta-feira continua agendada para 14h, na Cabofriense. Não iremos nos desmobilizar. Precisamos ficar atentos e vigilantes acerca dos próximos passos na direção desse absurdo. A derrota do prefeito, confessa e declarada na coletiva, é uma primeira vitória do movimento. Porém, se a batalha foi vencida, a guerra continua - guerra esta sem agressões, armas, ferimentos e violência, mas uma luta do bem, para o bem. Seguiremos em frente.

3 comentários:

Julio disse...

Queria o quê? O seu blog e a Folha dos Lagos vivem de fatos que não correspondem com a dignidade 'vivida" na nossa cidade - Ai, caraca! Espera aí -, tropecei em um buraco. Tá tudo mais maravilha, que o país das maravilhas. Caso, você não acredite pode ligar e perguntar a Alice.


Anônimo disse...

VITÓRIO DA POPULAÇÃO CABOFRIENSE. OS POLÍTICOS PRECISAM ENTENDER QUE ACABOU A ERA DE GOVERNAR SOZINHO NÃO DANDO SATISFAÇÃO A SOCIEDADE. HOJE AS REDES SOCIAIS ASSUMIRAM UM IMPORTANTE PAPEL NO PROCESSO DEMOCRÁTICO. QUEM NÃO OUVIR, ESTA FORA DAS ELEIÇÕES. PARABÉNS RAFAEL.

Anônimo disse...

Nessa altura do campeonato, ou apoia ou vai pro ralo de vez (se é que já não está!)