quarta-feira, 6 de agosto de 2014

OUVIDORIA - Desrespeito a cadeirante nas ruas de Cabo Frio.


Rafael, boa noite.

Gostaria de comentar sobre uma situação que vivenciei hoje e que considerei muito constrangedora e desagradável.

Estava eu passando pela Av. Joaquim Nogueira, na altura do horto em frente à APAE quando avistei um senhor amputado de uma perna em uma cadeira motorizada tentando seguir seu caminho, mas havia um carro atravessado na calçada do horto impedindo completamente não só a passagem daquele senhor cadeirante como a de qualquer outra pessoa, para seguir caminho, só restava a rua.

Parei e perguntei se ele estava tentando passar para me certificar do que estava acontecendo ou se era dedução minha. O senhor gentilmente me respondeu que sim, mas que era impossível e que iria tentar passar com a cadeira pela rua no cantinho do meio fio. Na mesma hora eu disse: NÃO, O SENHOR VAI PASSAR PELA CALÇADA!

Comecei a falar e olhar em volta para ver se alguém se pronunciava como proprietário do carro, se não aparecesse ninguém, eu iria ligar para a Guarda Municipal e o senhor recebeu muito bem a minha ajuda. De repente vem atravessando a avenida um homem que foi em direção à porta do carro e eu perguntei: O CARRO É SEU? E ele respondeu que SIM. Eu disse: VOCÊ SABE QUE NÃO PODE PARAR ASSIM, OLHA AQUI O SENHOR QUERENDO PASSAR E SEM PODER. Ele me respondeu: FOI SÓ UM MINUTO ENQUANTO FUI ALI. E eu: EM UM MINUTO MUITAS COISAS PODEM ACONTECER, INCLUSIVE UM SENHOR CADEIRANTE QUERER PASSAR SEM PODER. VOCÊ TEM PAI E MÃE?



E ele não me respondeu, entrou no carro e foi embora. Problema resolvido certo? ERRADO. No mesmo instante um carro branco atravessa a calçada em frente à uma oficina obstruindo novamente a passagem. Cheguei para o mecânico e disse: O SENHOR QUER PASSAR COM A CADEIRA E NÃO PODE, DÁ PARA TIRAR O CARRO?

Ele me respondeu: SÓ UM MINUTO, AGUARDA SÓ EU TROCAR ESSAS BORRACHINHAS AQUI DO LIMPADOR DE PÁRA-BRISA (falou mostrando as borrachas para mim). Ah, que abuso!

Eu disse: NÃO, EU E O SENHOR AQUI ESTAMOS COM PRESSA E VOCÊS NÃO PODEM OBSTRUIR A CALÇADA ASSIM, NÃO SOMOS NÓS QUE TEMOS QUE ESPERAR NÃO.

Aí, a senhora que estava com o motorista do carro é que pediu para tirá-lo porque pelo mecânico não seria resolvido. O motorista tirou o carro e estacionou em paralelo à porta da loja, o que seria o certo sempre, pois assim não atrapalha a passagem dos pedestres.

Achei um abuso por parte do mecânico, pedir para esperarmos ele fazer o serviço dele para passarmos!

Ajudei o senhor a atravessar as duas pistas da avenida, que hoje encontra-se completamente sem sinalização horizontal, e quando chegamos na calçada da APAE o senhor me agradeceu e disse: QUEM DERA QUE TODOS FIZESSEM O QUE A SENHORA FEZ POR MIM AGORA, OBRIGADO!

Nos despedimos e seguimos nossos caminhos. Eu nunca havia visto aquele senhor antes e talvez não o veja mais, mas naquele momento fiquei muito indignada com a falta de educação dos motoristas e a falta de solidariedade das pessoas que passam e não fazem nada para ajudar o próximo.

#umdesabafo#

POR FAVOR RAFAEL, NÃO ME IDENTIFIQUE SE FOR POSTAR NO BLOG.


COMENTÁRIO: Cara cidadã, situações como esta se repetem, infelizmente, todos os dias em nossa cidade. Não me parece o caso procurar culpados, mas pensar no que se pode ser feito. Temos, como fundamento destes atos, duas motivações: a ausência de fiscalização da lei por parte do poder público; e a própria ação individual das pessoas (minorias dentro dos cidadãos de Cabo Frio), que, igualmente, colocam a lei e o direito daqueles que precisam em segundo plano. Fica a dica tanto para a coordenação da Guarda Municipal, para que fiscalize com coerência, orientando seus servidores e funcionários a fazê-lo; quanto para você que está nos lendo, para que faça sua parte quando essas situações acontecerem. Obrigado pela sua participação!

4 comentários:

Anônimo disse...

Prof Rafael
Discordo no que tange "a MINORIA".A cultura da nossa cidade principalmente dos automóveis, é que eles tem preferência sobre o pedestres e cadeirantes. A maioria que ter seus direitos respeitados, mas não cumpre com o seu dever.Veja o que ocorre, quando paramos em uma faixa de pedestres, se o carro que está logo atrás não busina?
Desejamos paz, mas não queremos ser o modelo dela.

Anônimo disse...

Seria de bom tom ,se as propagandas fossem educativas ,e que nas escolas também falassem sobre educação no trânsito ,porque guarda municipal ninguém vê .

Anônimo disse...

Devíamos tambem ser mais corajosos e identificar os autores pondo as chapas dos carros no Blog para conhecimento de todos e do poder publico......se possivel com uma foto de todos....vamos aprender?????

Anônimo disse...

Parabéns colega pelo seu ATO .