terça-feira, 5 de agosto de 2014

EDITORIAL – Um retrato do abandono.


O bairro do Guriri, e sua extensão no Sítio Guriri, é uma das áreas que mais crescem na cidade e que menos recebem apreço do poder público.

Confinados entre dois investimentos particulares de alto padrão (Club Med e Alphaville), a localidade recebeu água da Prolagos há alguns meses, mas falta quase tudo. Apesar de possuir acesso nas casas à luz da Ampla, há setores públicos sem iluminação alguma. Animais ficam soltos pela pista; não há rede de esgotamento nem serviço de correios. O local carece de uma escola que atenda ao Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano e um Posto de Saúde próprio – os moradores não podem ser atendidos pelos postos do Tangará, por exemplo, tendo de se deslocar para o Centro ou São Cristóvão. Os reparos nos asfalto da Estrada que passa em frente à localidade (Estrada Deodoro de Azevedo, rumo a Búzios) são realizados apenas quando as redes sociais cobram – e, ainda assim, por vezes, de forma equivocada, não resistindo à primeira chuva que aparece.

Mas o Guriri, como um retrato, apenas representa uma situação maior e mais geral, neste caso, de abandono e esquecimento da periferia da cidade. Melhorar a foto já seria um pedido urgente. Desde que, dali, pudesse se melhorar toda a paisagem, para que os próximos retratos fossem revelados com mais dignidade – a de verdade, não aquela falsa, das propagandas.


Bom dia!

Nenhum comentário: