quarta-feira, 2 de julho de 2014

MIGALHAS - EDIÇÃO ESPECIAL - A entrevista do prefeito: "melhores" momentos.


#Vídeo
Em breve teremos em nosso canal no site You Tube um vídeo com trecho de aproximadamente 30 minutos da entrevista do prefeito concedida ontem ao Programa Amaury Valério.



#Lendo
O governante começou o papo com algo muito diferente: leu uma declaração ao vivo. Uma declaração escrita por ele mesmo sobre o que deveria falar. Interessante.

#Moda
Ler falas públicas tem sido uma moda no atual governo. A Secretária de Educação do Município, Elenice Martins, fez a mesma coisa na abertura da Jornada pedagógica, em janeiro deste ano.

#Loucura
Num dos trechos, o prefeito afirma que seus adversários ficaram preocupado com sua vitória, pois com o orçamento municipal, ele iria fazer muita coisa, "uma loucura nessa cidade". E está fazendo mesmo.

#Caguete
"O Dirlei demorou a assinar os processos de pagamento". Essa foi a justificativa do prefeito para o problema com os laboratórios que prestavam serviços para a prefeitura, que, segundo o governante, agora estão normalizados. Mui amigo.



#Arrependido
O prefeito assumiu que errou ao indicar cidadãos que não eram médicos para a Secretaria de Saúde. Segundo ele, os médicos têm o hábito de boicotar quem não é da área. Agora, com um secretário e uma comissão, todos médicos, ele crê no fim dos problemas. Interessantíssima a análise.

#Sepe
Amaury - "Prefeito, agora vamos falar sobre o Sepe."
Prefeito - "Não tem outro assunto não?"
Sem comentários.

#Adversário
"Lá no Conselho de Merenda eu tenho um adversário político. E aí não adianta, eu digo que é ouro, ele diz que é lata".

#Resposta
Prefeito, acho que a comparação ficou engraçada, mas possui um pequeno erro: o senhor só disse lata até agora, nesses últimos 18 meses. Então, para virar ouro, só seu eu fosse alquimista. E que me perdoem as latas pelo desrespeito.

#Assumiu
No papo, o prefeito assumiu que paga menos aos contratados do que aos concursados. Claro que todo mundo sabia. Mas sabe como é...

#Pagando
"Nós passamos um ano e meio pagando as contas do governo anterior. O governo começa agora". "Eu vou terminar as obras do Marquinho". Essa fixação do atual prefeito pelo ex, Marquinho Mendes, merece uma análise psicanalítica.



#Sofrendo
"Só nós sabemos o quanto sofremos nesse um ano e meio", disse o presidente da Comsercaf, Toninho Corrêa. O povo está vendo o "sofrimento" de vocês, podem ficar tranquilos. 

#Motivo
O motivo da entrevista seriam duas pesquisas que o governo teria feito, avaliando rejeição: uma quantitativa e outra qualitativa. Em ambas, dá para imaginar o resultado. Basta olhar o desespero da equipe em tentar limpar a péssima gestão de até agora para prometer um "novo" momento.

#Assumiu II
No papo, todos reconheciam a péssima administração da cidade. Agora como Secretário Extraordinário (palavras do próprio prefeito), Valdemir Mendes afirmou que precisará de apenas 90 dias "para consertar tudo o que está aí". Sinal que tem coisa errada pra caramba.

#Corte
Aliás, a ideia não era cortar gastos, cortar na carne? Como se faz isso criando mais uma Secretaria ("extraordinária") e nomeando uma comissão de três médicos para gerir uma Secretaria (Saúde), além do Secretário?

#Festa
E como se corta gastos deixando as lesmas invadirem o hospital do Jardim Esperança enquanto se promove uma festança no Clube Tamoyo para... nomear o novo Secretário de Saúde?

#Moda
"Virou moda abrir processo para pedir remédio à prefeitura". Não é moda prefeito. É direito. Mas não dava mesmo para esperar que o senhor soubesse a diferença. Apesar de ter tentado se aposentar como advogado do Ibascaf. Lembra?

#Carona
"Muitas vezes o cidadão não tem condições de ir até o hospital. Então o vereador leva. É até um serviço para a população". Sabe de nada, inocente...

#Espaço
No final, o prefeito propôs utilizar aquele mesmo espaço radiofônico para falar a cada duas semanas. Maravilha. Era tudo o que a oposição queria.

5 comentários:

Anônimo disse...

Para levar um paciente em certo estado de emergência até o Hospital não seria a Ambulância?
Paciente para consulta não pode ir de ônibus? Ha a passagem do cartão dignidade esta bloqueado!
Os vereadores levam até o Hospital, Upa, Posto de Saúde,porque tem bom coração, presta serviços a comunidades sem nada em troca. Entendo! Essa é a função principal de um vereador (letra minuscula) depois de eleito?

Julio disse...

Cara, o prefeito se olha no espelho e vê a imagem do ex-prefeito Marquinho. Ele é Fã, number one do ex-prefeito.
O sonho do prefeito, quando crescer é ser a cara do ex-prefeito Marquinho. Percebe-se que está parecido com ex-prefeito. Até o corte de cabelo, ele faz igual. Depois dessa o ex-prefeito Marquinho passa a máquina com pente zero no cabelo.

E por onde anda Carlos Victor?

Anônimo disse...

Rafael, boa noite.
É uma lástima, vermos uma cidade como nossa "rica" - como dizia o candidato Alair Corrêa e, tão pobre em gestão pública. O povo que o elegeu acreditou em mudanças. Esqueceu-se que à mudança era para alguns que estavam "quebrados e endividados" - inclusive aqueles que possuem cota de um empreendimento na cidade. Eu disse "cota", pois na Declaração do TSE, consta desta forma. Portanto, este empresário é cotista e não proprietário.
É lastimável ver a Saúde, que precisa de uma UTI, para chegar ao padrão de ambuatório - se ela teve redução no Orçamento, quão digna é.Falar de Educação, seria exagero.Não o vejo o senhor como "oposição" ao governo, até porquê aqueles que lá estão e são representantes deste governo, deveriam pensar - se é que sabem o que é isto. Honradez, idoneidade moral, caráter, não se compra com vis metais de portaria ou cargo de confiança.Quem não as tem, não se pode exigir.Somente o desvio de caráter eles possuem. O poder político é passageiro,mas poder andar com a cabeça é uma realidade que para poucos interessa.Eu creio, que pela idade já avançada, o sr Alair Correa, deveria ter um conselho que o ajudasse - não para serem vingativos e palavras correlatas.Mas de pessoas, que estariam ajudando-o, na condução administrativa.Sem função remunerativa pessoal ou de parentes - quiçá laranjas.O mundo se modernizou na globalização e nós aqui continuamos na visão provinciana da migalha.O tempo urge e, como todo maquiavélico, vai desejar fantasiar à cidade nestes próximos últimos meses de seu desgoverno.É lastimável, mas é assim, que eles dizem que fazem política. Gostaria de saber o resultado da pesquisa - não aquela que é feito pelo coordenador da campanha e que ganhou um cargo - antes criticava quem tinha "uma boquinha".

Anônimo disse...

O povo desta cidade, gosta de coisas antigas e da mesmice, do velho. ve se muda gente nas proximas eleições, chega de carregar este carma. e Atenção nada de votar nos candidatos do prefeito, são eivados de vicios.

Anônimo disse...

Só um adendo, Rafael... Os salários de contratados que são menores que os de concursados são aqueles de peixe pequeno, ok? São os filhos de puxa sacos já conhecidos (ok, sei que não merecem e nem legalmente podem ganhar menos, mas aí a culpa não é minha, é do 'cara' que eles elegeram!), são conhecidos dos conhecidos de conhecidos e outros menos importante na "hierarquia municipal"... Àqueles indicados por "grandes" (irmão, esposa, "o próprio" e filhos) tem salários bem, mas bem maiores que o meu, exercendo a mesma função e com mesma carga horária!!! Terra dos "mandos e desmandos", está chato isso já!