terça-feira, 1 de julho de 2014

EDITORIAL – O discurso e a prática: uma análise rápida e objetiva do legislativo.



A incoerência humana entre o discurso e a prática nem sempre é fácil de ser percebida. A não ser quando essa oposição é absurdamente gritante. É o que tem acontecido no Poder Legislativo pelo Brasil.

Um vereador da situação, por exemplo, que defende e vota a favor do governo é algo perfeitamente compreensível. Pode-se discordar da postura e do posicionamento no âmbito ético, mas, politicamente, existe sentido e justificativa para o ato.

Já o vereador que se intitula “oposição” mas defende o governo; vota com o governo; e não questiona o governo, parece ter apenas duas possibilidades: ou o dito cidadão sofre de grave esquizofrenia ou bipolaridade política, um grave transtorno de personalidade, que o faz dizer uma coisa e fazer outra; ou ele realmente acredita que o eleitor crê no seu discurso, mesmo vendo prática oposta. No primeiro caso, ele precisa de tratamento; na segunda possibilidade, ele precisa ter mais respeito com o cidadão.

Um jogador que veste a camisa do Flamengo; treina junto com seu elenco; torce para ele no estádio; comemora seu gol, mas diz que é botafoguense, precisa ou mudar suas práticas ou mudar seu discurso. Posicionamento político não é algo que apenas se sente: é preciso fazer. E votar sempre a favor do governo, sem questioná-lo nem fiscalizá-lo é atitude governista, não oposicionista. E eu não acredito que nenhum vereador, deputado ou senador vote a favor de um governo, mesmo tendo sido eleito contra ele, sem receber nada em troca, meramente “por amor à causa”. A não ser que ele assuma ter mudado de lado e tornado-se governista. Aí tudo bem.

Mas esses são problemas que acontecem longe demais de nós para nos preocuparmos com eles.


Bom dia!

3 comentários:

Mara disse...

Coletividade, população, interesses comuns, bem estar da comunidade, são vocábulos desconhecidos pelos nossos representantes na câmara legislativa, quer dizer, a partir do momento em que se instalam no poder, porque enquanto pleiteiam as suas vagas os discurso é outro. Infelizmente, o que prevalece é o interesse próprio e aquisição de recursos, para garantir a próxima eleição, já que a memória do povo é curta e a falta de uma educação politizada e comprometida, garante a permanência das ratazanas no poder.

Anônimo disse...

Longe ,se entendo bem ,longe eles estão de seus ideais,moral ,atitude e coerência .

Anônimo disse...

Na foto da mesa .onde estava o prefeito ,no Tamoyo.O mais inteligente me pareceu o Emanoel que nem virou para a foto ,em compensação brás fez caras e bocas para sair na foto .mais um pouco eke deitava no ombro do prefeito .Que feio vereador,vou pagar para ver seus discursos nos próximos palanques ,merecia levar vaias,ninguém muda assim .a não ser se está com as mãos molhadas.