sexta-feira, 25 de julho de 2014

EDITORIAL - A demora da demora.


Nos últimos dias, temos acompanhado a lentidão da prefeitura de Cabo Frio em garantir, com suas contrapartidas legais, a chegada de investimentos essenciais do governo do estado para a efetivação de obras fundamentais para o desenvolvimento de nossa cidade.

Falamos, especificamente, do asfaltamento e urbanização de bairros da periferia do município - convênio de 78 milhões de reais com o Programa Somando Forças, dos quais mais de 74 milhões vêm do estado - e da construção da Delegacia Legal de Tamoios, cujo projeto encontra-se pronto e o valor separado. Entretanto, com a demora da prefeitura em apresentar sua contrapartida (cessão de terreno na área de Long Beach para a instalação), o projeto ficou de fora do Plano de Trabalho para 2014.

No caso do Programa Somando Forças, é possível que os documentos que precisam ser enviados ao governo do estado para a efetivação do investimento apontem que o município não anda quite com suas obrigações federais. Talvez por isso eles ainda não tenham sido remetidos. Se for esse o caso, entretanto, cabe à administração sanar seus problemas e voltar a ser passível de parcerias. Ainda nesta semana, publicamos uma ajuda, um tutorial ao governo e ao seu líder na Câmara, orientando como proceder nessa questão documental, na hipótese do desconhecimento dos trâmites (o que ficou claro na entrevista do vereador à Folha dos Lagos) ser o motivo da demora. [clique aqui e relembre].

Já no caso da Delegacia Legal de Tamoios, não haveria muita salvação. A questão parece mesmo ser o desinteresse pelo projeto, que, entretanto, auxiliaria e muito a vida do distrito, que sofre com a violência constante, por ser rota de atravessamento de contrabando, armamento ilegal e entorpecentes, bem como reduto de milícias ligadas ao transporte alternativo na região.Mas o enfrentamento a esse tipo de estrutura e o bem-estar da população de Tamoios - aliás, de toda a população que não mora na orla da Praia do Forte - não parecem ser prioridades do atual governo.

Uma gestão pública de qualidade, realmente preocupada com o cidadão, teria um escritório técnico específico, especializado no atendimento e celebração de convênios, a fim de que nenhum recurso disponível se perdesse e a população não tivesse prejuízo. Como está tendo.

Os casos apenas confirmam o que se fala pelas ruas: o governo esqueceu seu povo. Supondo que tenha pensado nele alguma vez.

Bom dia!

2 comentários:

Anônimo disse...

Não sabem como fazem os documentos mais ,os documentos mudaram ,são outras tecnologias ,acharam que era os mesmos documentos.

Anônimo disse...

É proposital ,eles não querem ajuda de outros,Porque quando for inaugurar o seu nome não vai aparecer .Sua vaidade se sobrepõe ao sacrificar as pessoas que mais necessitam destes serviços que o Jânio conseguiu com tanta insistência para a nossa guerida periferia de cabo frio .