sábado, 8 de março de 2014

EDITORIAL - As mulheres e seus dias.


Hoje é Dia Internacional da Mulher, e, como toda data comemorativa brasileira, teremos a tendência maior às festas, homenagens e poesias, e um apreço menor pelas reflexões críticas e ações que possam, efetivamente, mudar a política pública nacional e local acerca do tema.

Não sou contra homenagens. Ao contrário, entendo que elas devam existir sempre. Oferecer rosas, vestir rosa, escrever poemas e render honras são necessidades, formas de demonstrar carinho e respeito, algo justo e coerente com a história das mulheres nas nossas vidas e na vida do nosso país. 

Só acho que a cereja do bolo perde a graça quando é servida sem o bolo.

E o bolo, nesse caso, deveria ser a utilização da data para estimular um grande debate reflexivo sobre o papel da mulher na sociedade cabofriense e brasileira. De que maneira a Lei Maria da Penha ajuda nesse processo? E a ocupação de novos postos pelas mulheres no mercado de trabalho? E a relação disto com a manutenção do papel materno (biológico e social)? E o crescimento das mulheres que "chefiam" famílias? E a queda do "pátrio poder" do Código Civil, serve para alguma coisa? O que fazer para preencher as lacunas entre as mulheres e a sociedade como um todo?

Uma data como a de hoje poderia servir para a comunidade local cobrar das autoridades públicas ou privadas (como as universidades particulares), a criação de fóruns permanentes de discussão e ação sobre o tema. Ou a própria população se organizar em coletivos nessa direção.

Mas talvez eu queira demais.

Parabéns mulheres! E um bom dia a todos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Seria um dia é tanto ,para o prefeito ir ao ar e pedir desculpas pelas agressões cometidas principalmente as mulheres do SEPE.