sábado, 21 de setembro de 2013

FALTAM 6 DIAS - Gastronomia do Samba homenageia Mano Décio da Viola no próximo dia 27. Mas quem é Décio?

Décio Antônio Carlos nasceu na Bahia, terra de sua mãe, em 1909, mas, com menos de um ano, se mudou para Juiz de Fora (MG) e pouco tempo depois ainda para o Rio de Janeiro, onde viveu pelo resto da vida.

Mano Décio da Viola, como ficou conhecido, tornou-se um dos fundadores do G.R.E.S. Império Serrano, no final dos anos 40. A agremiação acabou conquistando quatro vezes o carnaval com sambas compostos pelo sambista.

Falecido em 1984, Décio compôs mais de 500 sambas e gravou três LPs. Atualmente, o sambista dá o nome de uma das ruas de Madureira, bairro em que viveu,e onde fica a quadra do Império Serrano, nas proximidades do viaduto e da estação de trem, num lugar aconchegante e popular, onde já estive a oportunidade de estar muitas vezes.

Mano Décio possuía forte envolvimento político, tendo se posicionado a favor do Governo Vargas dos anos 50. No final dos anos 60, foi perseguido pela ditadura militar pela composição do samba “Heróis da Liberdade”, com Manuel Ferreira
e Silas de oliveira.

Suas composições estão entre as melhores do universo do samba para utilização pedagógica, tendo como objetivo o ensino da história do Brasil.

Por isso, a Gastronomia no Samba homenageia esse grande mestre da música brasileira no próximo dia 27. Até lá, traremos mais riquezas sobre a vida de Décio e de seu filho, Jorginho do Império, que estará presente no evento.



Heróis da Liberdade
Passava noite, vinha dia
O sangue do negro corria
Dia a dia
De lamento em lamento
De agonia em agonia
Ele pedia o fim da tirania
Lá em Vila Rica
Junto ao largo da Bica
Local da opressão
A fiel maçonaria, com sabedoria
Deu sua decisão
Com flores e alegria
Veio a abolição
A independência
Laureando o seu brasão
Ao longe soldados e tambores
Alunos e professores
Acompanhados de clarim
Cantavam assim
Já raiou a liberdade
A liberdade já raiou
Essa brisa que a juventude afaga
Essa chama
Que o ódio não apaga pelo universo
É a evolução em sua legítima razão
Samba, ó samba
Tem a sua primazia
Em gozar de felicidade
Samba, meu samba
Presta esta homenagem
Aos heróis da liberdade
Ô, ô, ô, ôLiberdade senhor!




Nenhum comentário: