terça-feira, 30 de julho de 2013


#Caça
Ao que parece, as mudanças na administração da UPA de Tamoios não foram tão revolucionárias quanto se pretendiam. A nova administração já começou a colocar funcionários à disposição. A carga horária do funcionalismo foi aumentada para obrigar alguns profissionais de dois vínculos a escolherem por um só. Funcionários doentes com atestado tiveram seus direitos ignorados.

#UPA II
É o que se diz por lá. Cruz credo.

#Porém
Por outro lado, há quem diga que os funcionários postos à disposição são os que deveriam ter sido demitidos pela administração anterior, e não o foram, por serem coniventes com ela. A carga horária ampliada, nessa segunda tese, teria incidido sobre os funcionários que tiveram a jornada reduzida, também por parceria com a administração recém excluída da unidade. Finalmente, essa “réplica interna” defende que os atestados têm sido utilizados para retardar a saída da unidade, iminente pelo pacto com a gestão passada.

#Razão
Quem tem razão? E-mails para o blog.

#Comentário

Sem querer me meter na discussão, que é coerente apenas para quem vive o cotidiano da unidade, preciso lembrar que ignorar atestados como justificativas legais para ausências em serviço é algo ilegal. E que a retirada de servidor concursado de uma unidade para a outra sem motivação de interesse administrativo constitui outra ilegalidade. Só para ajudar.

#Calote
O calote dando pela prefeitura nos funcionários que recebem vale-transporte, denunciado pelo nosso blog, anda repercutindo entre os servidores.

#Calote II
Outros setores, além do de saúde, têm sido afetados. Até nas férias a classe tem sido descontada, mas recarga no cartão nada. Pode isso Arnaldo?

#Dúvida
Há quem diga que a JUCERJ – Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro – foi embora de Cabo Frio por falta de pagamento do aluguel da sala em que atuava. As mesmas línguas dizem que quem deu o calote foi a instituição responsável pelo pagamento – a Prefeitura de Cabo Frio. Será? E-mails para o blog.

#Certeza
Já deveria ser evidente, mas é sempre bom reforçar: só denunciaremos os desmandos do governo municipal, que sabemos existirem à torto e à direita na cidade, com provas minimamente confiáveis. Não citaremos nomes governistas em acusações sérias de maneira leviana e irresponsável. Ou seja: se você tem uma denúncia a fazer, faça-a de maneira fundamentada e terá espaço aqui. Se não...

#Debate
Ao que parece, o prefeito da cidade voltou ao seu hábito pouco cavalheiresco de bater boca com cidadãos no facebook. O tema da discussão foi o recadastramento dos servidores na cidade.

#Debate II
O prefeito vinha sendo claramente orientado pela assessoria a não discutir pelas redes sociais há cerca de três meses, período no qual foi obediente. Mas ontem não resistiu e voltou a comandar os barracos virtuais. Tem sentido: a voz dos assessores não tem muita vez em governos centralizadores, nos quais o governante faz o que quer, na hora que deseja.

#Moralidade
Aliás, a questão do recadastramento precisa ser ponderada. Não há nenhum problema recadastrar servidores, e, inclusive, é um hábito anual da administração fazê-lo.

#Moralidade II
O problema é envolver o ato em uma capa falsa de moralidade, prometendo punir quem não estiver no setor. Há funcionários que trabalham por turno. Todos têm direito a horário de almoço variável de acordo com a necessidade pessoal. Outros possuem jornada de trabalho diferenciada, como é o caso do professor. Ninguém é obrigado a estar trabalhando em hora que deveria não estar só para atender aos caprichos de uma administração que desconta a carga da falta de legalidade que possui em outros setores no excesso de legalidade que impõe nas costas do servidor nesse caso. Lei a menos e lei a mais são ilegais. Simples assim.

#Moralidade III
Aliás, o excesso de moral e de lei nesse caso não combina com as outras dezenas de casos de ilegalidade contra o servidor municipal denunciados aqui e em outros meios de comunicação. O atual governo querendo dar aula de moralidade e legalidade para o servidor público é algo tão inimaginável quanto o Eike Batista escrever um livro sobre a pobreza franciscana.

#Descoberta
Muita gente na educação de Cabo Frio acha estranho o fato de apenas os professores contratados poderem receber hora-extra, aceitando turmas a mais.

#Descoberta II
Tem sentido: muitos deles trabalham a mais e não recebem nada de hora-extra, ou ainda, recebem bem menos do que o correto. Como temem perder o contrato, acabam sendo pressionados por isso a não denunciar essa ilegalidade, o que não aconteceria no caso dos concursados. É só conferir o que digo.

#Detalhe
Nenhum contratado tem culpa nisso. Cada um defende o pão de cada dia, devendo, para isso, às vezes ter de se calar. Errado é o governo que oprime, não paga e age na ilegalidade contra o trabalhador – qualquer trabalhador, seja ele contratado ou concursado. Pronto, falei.

#Pagou?
Muita discussão foi gerada nessa semana em relação à data de pagamento dos servidores de Cabo Frio. Repudiamos qualquer boato plantado apenas para prejudicar a administração municipal, ainda que não concordemos com quase tudo o que ela faz. Mas é preciso jogar sempre limpo.

#Pagou? II
A prefeitura, legalmente, pode pagar seus funcionários até o quinto dia útil de cada mês. Logo, não podemos dizer que as constantes mudanças de datas do pagamento do funcionalismo municipal constituem uma ilegalidade.

#Pagou? III
Porém, o que se discute é uma questão política, e não legal. De bom senso, e não de legislação. De dignidade, e não de formalidades. Ter uma data fixa e inquebrantável de pagamento mensal é garantia de tranquilidade para o trabalhador, que organiza suas contas em cima desse prazo. No governo passado, todos recebiam, irremediavelmente, no dia 26 do mês anterior. Não manter esse hábito saudável é um vacilo político, mas não se poderia esperar outra coisa da atual administração. Portanto, não seria imprudente pedir o menos incoerente: a fixação de uma data mensal de pagamento, mesmo que essa beirasse o dia 30 do mês anterior. Dá para ser?

#Desabafo
Que falta faz o Deodoro.

#Prestígio
Uma honra ter participado, junto ao meu amigo Olney Vianna, presidente do SINDICAF, do Programa Tá na Boca do Povo, do meu outro amigo Andrezinho Bandeira, na última sexta-feira.

#Abraços

Ontem estive com o companheiro Júlo Reis, Secretário de Comunicação do PT de Cabo Frio. O homem anda todo orgulhoso do filhão, Renato Reis, que cursa Sociologia na UFF. Um grande abraço aos dois.

#Pop
Concordando com meu amigo Secretário de Cultura, José Facury, temos, finalmente, um Papa pop, no sentido mais agradável do termo. Falas e discursos improvisados, espontâneos, e as inéditas entrevistas para a Globo e no avião de passageiros não significam mudanças estruturais na doutrina católica, mas apontam para um avanço significativo que pode ocorrer nos próximos anos. Francisco se pronunciou sobre temas polêmicos com firmeza e sem deixar brecha para críticas em sua fala. Mostrou-se um orador simples, objetivo e quase inequívoco, com opiniões progressistas e de cunho social inegável. Em suma: encantou a todos.

2 comentários:

Anônimo disse...

O COLEGIO CASARAO DO JARDIM ESPERANÇA ESTA FUNCIONANDO Na IGREJA CATOLICA JARDIM, QUANDO IRAO COMEÇAR AS OBRAS. DO CASARAO COLEGIO.
OS JOVENS DO PRO-JOVEM ESTAO SEM RECEBER HÁ 4 MESES.
ONDE ESTA O DINHEIRO ELES GANHAM MENOS DE 350,00,

Anônimo disse...

O COLEGIO CASARAO DO JARDIM ESPERANÇA ESTA FUNCIONANDO Na IGREJA CATOLICA JARDIM, QUANDO IRAO COMEÇAR AS OBRAS. DO CASARAO COLEGIO.
OS JOVENS DO PRO-JOVEM ESTAO SEM RECEBER HÁ 4 MESES.
ONDE ESTA O DINHEIRO ELES GANHAM MENOS DE 350,00,