sábado, 7 de julho de 2012

SER DIFERENTE

Publicado no Jornal Folha dos Lagos em 7 de julho de 2012.

O processo eleitoral deste ano em Cabo Frio deixa claro a necessidade da diferença. A diferença é um valor que não significa, de maneira alguma, a negação da realidade presente, muito menos o retorno a um passado de medo e intransigência. A diferença não é um conceito que propõe uma inversão da lógica atual nem a defesa de uma frente pré-histórica que sente saudades do tempo em que a cidade começou a derrocar.

Ser diferente é aceitar as diferenças, conviver com elas e unir os diferentes. Ser diferente é respeitar mais do que esnobar, é não cantar vitória antes do tempo, respeitando a vontade do eleitor. Ser diferente é não postar nas ruas uma caravana do medo. Ser diferente não é juntar uma frente de iguais. Não é uma união dos que desejam o poder pelo poder ou dos que se assemelham na visão pequena da política local, no gosto pelas picuinhas, pela vingança e pelo ódio.

Ser diferente, ao contrário, é desenvolver uma musculatura política arrojada, a partir da força do trabalho pelo ajuntamento dos que pensam de maneira diversa. É tratar um recém chegado como amigo de infância e reconhecer a fórmula do sucesso no outro mais do que em si mesmo. Ser diferente é lutar para impedir o retorno daqueles que criaram uma Cabo Frio soberba, isolada, dependente quase absolutamente do poder público, de si mesma, sem parcerias, controlada por seu próprio orçamento volátil e suas riquezas finitas, dirigidas por uma cabeça que pensa sozinha – e em si. 

Ser diferente é entender a cidade não como uma ilha cheia de royalties, cercada de nada por todos os lados, mas como uma ponte rica e bela, que leva seu povo ao caminho do desenvolvimento, havendo de ser, para isso, sustentada por pelo menos dois lados de terra firme: o estado e a nação; o governo estadual e o governo federal.

Ser diferente é querer festa junto com emprego; shows ao lado de universidades públicas de qualidade; valorização da cultura local junto a um turismo rentável. Ser diferente não é se achar melhor do que o que está posto, mas pregar a união contra o isolamento e a superação do que nos separa ao invés da rixa pelo que nos difere. Ser diferente é acreditar que o caminho da luta, da dificuldade e do ceder é o trajeto possível para uma cidade melhor, contra o retorno desesperador a um passado que instaurou o que de pior reclamamos hoje. Ser diferente é confiar que o diálogo entre os diferentes vai fazer a diferença – e vai. Vamos às ruas, mostrar que somos, juntos, o futuro contra o passado – somos a diferença!

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá, tudo bem?

Gostaria que visitasse e divulgasse o meu Blog: www.carnaubomarequente.blogspot.com ! Um novo canal de idéias ! Um abraço!