sexta-feira, 1 de junho de 2012

EDITORIAL - O milagre de Jonas

O ex-prefeito e ex-deputado Alair Corrêa está fora da lista de inelegibilidade do TCE-RJ. Como defendemos nas últimas postagens, torcíamos para que isso acontecesse e imaginávamos que ele seria sim candidato (ver postagem  "Condenação de Alair - minha opinião", de 23 de maio, e muitas outras anteriores).

O interessante é observar que Alair figurava na listagem do TCE-RJ em 2011 e conseguiu limpar sua extensa ficha em menos de um ano. Jogada genial de seu respeitado corpo de advogados.

Leve-se em conta também que há quem acredite em milagres, e é preciso respeitar a fé de cada um. Jonas foi um exemplo bíblico dessa experiência, conseguindo se livrar das entranhas de uma baleia.


Por falar nisso, Jonas Lopes de Carvalho, Presidente do TCE-RJ, foi secretário-chefe do Gabinete Civil de Garotinho quando ele era governador. 
Segundo reportagem da Revista Isto é, na edição 1593, de 12 de maio de 2000, disponível NA ÍNTEGRA AQUI , Jonas também era “homem forte nos contatos políticos de Garotinho”.

Segundo essa matéria, funcionava em 2000 um escritório de advocacia comandado pelo então secretário estadual de Justiça, Antonio Oliboni, que, de forma ilegal, atuava em causas contra o Estado. Jonas era um dos sócios do “empreendimento”.

O escritório ficava no 20º andar de um edifício no centro do Rio que teria funcionado, desde a campanha eleitoral de 1994, como quartel-general de Garotinho. “No mesmo escritório, Oliboni cuidava dos interesses da empresa Brasal, de Jair Coelho, que fornece comida aos presos do Estado, sem licitação e sob a suspeita de superfaturamento do preço unitário da refeição (R$ 4,50)".

Outro trecho da mesma reportagem é interessante. Vejamos:

Secretário estadual desde o início de 1999 – com vencimentos de R$ 6 mil –, Jonas Carvalho continua recebendo R$ 1.360 como funcionário de carreira da prefeitura de Campos, onde é assessor jurídico. Procurado, Jonas mandou sua assessoria dizer que foi legalmente cedido pela prefeitura campista, mantendo 'todos os seus direitos e vantagens'. A secretária de Administração de Campos, Claudia Salgado, diz que 'Jonas continua recebendo salário pela Prefeitura de Campos e foi cedido sem ônus para o governo estadual'. A explicação do subsecretário estadual de Administração, José Roberto Coutinho, é diferente. 'Jonas é secretário e recebe comissão pelo cargo. O município de Campos é ressarcido. Ele foi cedido com ônus para o Estado.' Ou seja: pelas explicações oficiais, Jonas estaria embolsando dois salários. 'Se ele estiver recebendo daqui e de lá, eu vou cortar' diz o prefeito de Campos, Arnaldo França Viana.”

De toda sorte é muito melhor ganhar de Alair do que ganhar sem ele. Com ou sem milagres.


Bom dia!



Um comentário:

ALEXREP disse...

Com as Instituições falidas, desacreditadas e corrompidas, não há Democracia no mundo que as sustentem. O povo mais humilde é que pagará como sempre essa conta feita pelos poderosos de sempre.
O que vivemos é uma Ditadura com capa de Democracia.
Ditadura do Poder, ditadura econômica. ditadura da informação e por aí vai.