quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

EDITORIAL - Veja a contradição

A capa da Revista Veja da última semana aborda a educação como “a arma secreta da China” para tornar-se potência mundial. O problema é que a educação chinesa muito se assemelha ao sistema de CIEP’s adotado por Leonel Brizola enquanto proposta de educação integral – sistema este criticado pela mesma Veja nas últimas edições. Esquizofrenia jornalística?

A falta de coerência da Veja, revista tão isenta quanto os blogueiros “independentes” de Alair, ops, de Cabo Frio, é notória no meio político, no qual é entendida como um instrumento quase oficial de promoção da dupla PSDB-DEM.

A educação integral, por sua vez, possui conceitualização e aplicação imersa em várias nuances e correntes. Certo, porém, que o aproveitamento do alunado em atividades eletivas no contra-turno pode ser uma luz para uma otimização de habilidades no próprio turno, flexibilizando, quem sabe, o mito da democratização da educação. Dar espaço a todos não significa dar espaços iguais para cada um.

Sem dúvida, de toda sorte, dar à escola pública o poder de oferecer ao alunado a oportunidade de se manter longe das drogas e perto da cidadania é opção mais do que salutar – mas depende sempre de um Estado forte, investidor, e de uma conexão com a comunidade – leia-se instituições de bairro e famílias. Isso, claro, se a cor das canetas utilizadas nos diários não forem consideradas mais importantes.

Bom dia!

Nenhum comentário: