quinta-feira, 8 de setembro de 2011

EDITORIAL - O ACORDINHO




O termo "acordinho" é mais coerente para falar da aliança entre Marquinho Mendes e Alair Corrêa, já que é uma junção interna de um mesmo grupo, e não um acordo de coalizão entre vários e diferentes grupos, o chamado "acordão".



Alair é o candidato perfeito para Marquinho, que manteve a maioria dos Secretários de Alair em seus dois governos. Não decolando a candidatura de Alfredo Gonçalves, caberá a Marquinho manter o acordo com Alair para que parte de seu staff seja mantido no poder.



Alair se filiará ao PP, partido de Paulo Maluff e Dornelles. O PP é o partido da Vice-Prefeita de Marquinho Mendes, Delma Jardim, que foi candidata a Deputada Estadual apoiada por Alair em 2010 e agora assume a Prefeitura durante a viagem do Prefeito, justamente, no período de filiação de Alair à legenda. O objetivo, claro, é dar visibilidade ao "evento" que é a filiação...






O PP é partido da base do Governo Marquinho, possuindo dois Vereadores da situação governista. A nova contratação governista é exatamente a filiação do ex-Deputado e ex-Prefeito Alair Corrêa. Jogada de mestre. Só não vê quem não quer.



Obviamente, o objetivo do "grupo dos ex" (ex-Secretários, ex-Vereadores, ex-poderosos que apoiam o ex-Deputado e ex-Prefeito) é anexar a péssima imagem do governo Marquinho a outros candidatos potenciais que possam atrapalhar o projeto de 20 anos de poder, lançado por Alair Corrêa quando Prefeito, e que nunca foi negado publicamente por Marquinho Mendes, continuador do projeto - um tiro no peito da democracia.



Como anunciou a obra de Wesseling, Maquinho e Alair querem dividir para dominar. A diferença é que, nesse caso, finge-se a divisão para dominar. Mas o povo já percebeu o "acordinho"...

Nenhum comentário: