domingo, 18 de setembro de 2011

EDITORIAL - Leituras do Jornal Nacional




O Jornal Nacional noticiou ontem a queda de um avião sobre a plateia que admirava uma competição de aeronaves em vôos rasantes nos Estados Unidos. 50 pessoas foram feridas, 3 morreram, assim como o piloto do avião, considerado um herói pela reportagem, pois conseguiu parar a aeronave antes da arquibancada principal, que portava mais de 100 pessoas.

Se a mesma notícia acontecesse no Brasil, e fosse veiculada pelo Jornal Nacional, teríamos mais ou menos a seguinte versão:

IMPRUDÊNCIA – PILOTO NEGLIGENTE MORRE, MATA 3 E FERE 50

Aconteceu na tarde de ontem, em uma cidade do interior do Rio de Janeiro. Um grupo de moradores assistia a um “pega” de aviões. Esse tipo de evento é comum no interior do país, quando as aeronaves voam muito baixo, passando por obstáculos, como num circuito, sem qualquer segurança, oferecendo grandes riscos aos tripulantes e à população que assiste. Um dos pilotos, ao tentar uma manobra mais arriscada, perdeu o controle e se espatifou contra a multidão. O piloto imprudente morreu, matou três espectadores e ainda feriu 50. Por sorte, não atingiu a arquibancada principal, que portava cerca de 100 pessoas. A Polícia Civil disse que não entende como a prática não é proibida no país e que acionará o Ministério Público, lembrando que, se tivesse sobrevivido, o piloto com certeza seria preso, tendo sua licença para voar cassada. Investigadores suspeitam que, na verdade, ele nem tivesse essa licença, tamanha sua negligência. A família do piloto foi procurada pela reportagem, mas não retornou as ligações. Nesse momento, após verem esta reportagem, manifestantes depredam a casa da família do piloto. Vamos às notícias do esporte!

Na mesma noite, o mesmo Jornal Nacional apresentou a notícia de um monomotor que perdeu os freios em Cotia, estado de São Paulo, ultrapassou a pista e se chocou com um muro, explodindo. Por milagre, piloto e co-piloto se salvaram. A reportagem afirmou que, se não fosse o muro, o avião teria atingido uma escola. Um voluntário da escola deu entrevista falando do perigo que as crianças passaram. Um técnico afirmou que o sistema de freios do avião foi o culpado do acidente. Os dois foram procurados mas não atenderam aos chamados da emissora.

Se o fato acontecesse em território americano, presumo eu, teríamos mais ou menos a seguinte versão:

PILOTO HERÓI SALVA CRIANÇAS AO CHOCAR SEU AVIÃO EM MURO

Aconteceu em Interior County, cidade do estado da Flórida. Um piloto e seu co-piloto, ao aterrissarem, perderam os freios e ultrapassaram a pista de vôo. Ao verem um muro de contenção, perceberam que poderiam sobrevoá-lo. “Lembrei que havia uma escola após o muro e preferi arremessar meu avião contra ele do que arriscar a vida das crianças” – disse o piloto. O avião explodiu, mas os dois tripulantes escaparam ilesos. Um técnico da aeronáutica afirmou que as falhas em sistemas de freios acontecem, e que por isso as pistas são mais longas, o que não ocorre em Interior County por ser uma tradição cultural da localidade. O técnico afirmou ainda que a manobra do piloto foi genial. “Ele salvou mesmo aquelas crianças –disse. O pároco da Igreja Católica local disse que irá encaminhar o fato ao Vaticano: “trata-se de um milagre” afirmou o Padre. Piloto e Co-Piloto serão recebidos por Barak Obama na Casa Branca na semana que vem e receberão a mais alta comenda do Congresso Nacional.

Essa é a mídia nacional. Na restinga, nada muito diferente...

Um comentário:

Julio disse...

Perfeito, Rafael! Adorei a sua narrativa fictícia.
Cada um manipula as noticias ao seu bel prazer, não é?
Pelo menos, foi noticiado e cada um interpretar como quer e dá um toque de dramaturgia como quiser. Pior é esconder as noticias e censurar, como se fosse um detectador de “fakes” e anônimos.


Um abraço para você também Rafael.