ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

domingo, 31 de maio de 2009

Segurança Pública em Cabo Frio - micro-realidades...


O Coronel Carlos Henrique Alves de Lima assumiu o comando do 25o Batalhão da PM com todo gás, implementando medidas importantíssimas, como o reconhecimento pessoal de áreas de índices de violência elevados e a implantação de trailer da PM e semi-barricadas no Jacaré.


Agora sim parece valer à pena mostrar pequenos detalhes da segurança municipal, suas micro-realidades.


É o caso das abordagens que ocorrem na Avenida Assunção, especialmente no trecho entre o Mc Donalds e o trailer da PM na Praça Porto Rocha.


Nesse pequeno espaço, são vários os casos de cidadãos que , à luz do dia (ou da tarde, diria o poeta), especialmente aos domingos, onde a área é semi-deserta, são abordados em tentativas, executadas ou não, de assalto, espcialmente perto da Caixa Econômica Federal.


No dia de ontem, pessoa da minha família foi a quase-vítima do hábito nada legal (nos dois sentidos). Fica aqui o aviso do detalhe ao novo Comandante e demais autoridades.


Um mapeamento local seria interessante, posto que, embra o trailer na Praça seja últil, há micro-realidades na "faixa da assunção" (que não é de Gaza, mas é como se fosse) que nesse efetivo não consegue suprir, especialmente nas ruas transversais da Avenida.



************

sexta-feira, 29 de maio de 2009

MIGALHAS - Pré-vestibular comunitário, Passeatas, pontos culturais e outras insanidades


---------- Cabo Frio já conta com um curso pré-vestibular comunitário: é o CURSOBRAC, localizado na Igreja Brasil para Cristo, na Estrada de Búzios, 2248A, bairro Tangará, próximo ao Mercado Vitória. O curso funciona todos os sábados, das 8h às 18h e a mensalidade é simbólica: 1kg de alimento não-perecível. Há turmas para os que desejem cursar as graduações semipresente de Matemática(UFF) e Pedagogia (UERJ) no polo do CEDERJ em São Pedro D’aldeia e os cursos técnicos e graduação do IFF (antigo cefet), no Centrinho e na FAETEC, na Raza, bem como o ENEM,PROUNI concursos, provão anual do Estado (exame do ensino fundamental ou médio, em novembro/ dezembro de 2009) e reforço escolar. Maiores informações: www.cursobrac.com.br

---------- Acabou de acontecer no centro da cidade a passeata por segurança no comércio e em toda a Cabo Frio, promovida pela ACIA. Muitos comerciantes aderiram ao fechamento de suas lojas, entre 11h e 12h, como forma de protesto e para efetivar a participação de patrões e empregados no evento. De fato, havia alguns funcionários, com camisas de suas respectivas empresas, participando do momento...


---------- Presentes estavam, obviamente, Zé Martins e a diretoria da ACIA; Dr. Eisenhower, Presidente da OAB; Alfredo Gonçalves, Otto Maciockas e a assessoria de Dr. Taylor, assim como Rodrigo Duarte e Fábio Lemos também marcaram presença.





---------- Do outro lado da Praça Porto Rocha, observavam silenciosamente o ato o radialista Edinho Ferrô e o ex-Prefeito de Arraial do Cabo, Renato Vianna.

--------- O Prefeito Marquinho Mendes não estava presente. Na caminhada...


---------- Projetos do grupo Apanhei-te Cavaquinho e da Associação Cultural TRIBAL foram selecionados pelo Ponto de Cultura, do Governo do Estado, e receberão verbas para suas realizações. Há quem diga que foi um tapa com luva de pelica no Governo Municipal, já que ambas as associações não têm recebido apoio do Poder Público. Mais uma prova de que a cultura não depende do apoio de um governo, ao contrário: o poder público é serviçal da cultura local, que brota espontaneamente, e depende do abraço das manifestações culturais para governanr, minimamente, com apoio popular.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

ARTIGO - A opinião pública

A OPINIÃO PÚBLICA

“Ela levou Cristo ao Calvário”, é a primeira acusação que nos vêm à mente. Verdade ou não, o fato é que ela, ou o desleixo diante dela, levou o Deputado Sérgio Moraes (PTB) a uma Gólgota tupiniquim, ao ser destituído como relator do caso Edmar Moreira. Ao declarar “estar se lixando para a opinião pública” porque “vocês jornalistas falam de nós, mas mesmo assim nos reelegemos”, o Deputado deu um tiro de misericórdia no próprio coração (supondo que ele possua um), mexendo num vespeiro político cujo alcance ainda não conhecemos, apesar de uma história nacional de 200 anos: a imprensa.

Há algumas semanas, conversando com um político da cidade, referia-me aos jornalistas como uma “raça”. Na verdade, minha intenção era falar dos donos de jornais, quando pensava eu nas teorias de Becker sobre a fotografia, na qual editores e donos de jornal seriam figuras-chaves nas escolhas de imagens, a fim de direcionar os observadores a construções sociais que satisfizessem seus interesses econômicos e políticos.

Se a “raça” dos donos de jornais possui de fato essa mácula, não sei. O fato é que, se o conceito de raça que seguimos é o tradicional, do naturalista sueco Carl Linnaeus, entenderemos que ela designa características próprias de um grupo, nos sentidos físico, temperamental e comportamental. Não acho que os jornalistas sejam fisicamente iguais, embora as jornalistas se nivelem por uma beleza superior... mas temperamentalmente e comportamentalmente, podemos auferir certa generalidade: o jornalista jamais se cala diante de uma provocação como a do Deputado. Não há dúvidas que, não fosse o repúdio da imprensa, outros argumentos não o destituiriam da relatoria.

O processo de degradação da imagem do Deputado parece querer dizer que opinião pública e opinião da imprensa são sinônimos. Isso significa que a nossa voz é a voz do Jornal Nacional? Nossa opinião faz a imprensa ou é ela que faz nossa opinião?

Lembro da declaração de Gabeira no último pleito municipal carioca, ao falar sobre os suburbanos. A reação não foi da imprensa: foi da população nas ruas. A imprensa carioca, parcialmente tendenciosa, tratou de incrementar e hipertrofiar a questão, gerando sérias conseqüências eleitorais. A idéia que a imprensa cria sentimentos na sociedade é bastante suspeita: o máximo que ela parece poder fazer é agigantar uma opinião de um pequeno grupo de pessoas, transformando-a na opinião de uma massa. Mas ela jamais “cria” sentimentos sociais.

É preciso ainda não confundir opinião pública com a fofoca, achismo ou análise da vida alheia. Lembro-me de uma entrevista do rapper Mano Brown ao Programa Roda Viva, no qual citava o grande número de companheiros que não votaram em Marta Suplicy para a prefeitura paulista “porque ela se separou do Eduardo e estava namorando um argentino antipático”. No entanto, reconheçamos que essa análise da vida privada alheia pode ter se convertido em opinião pública, ao menos de um grupo, e que pode ter decidido também uma eleição.

Em Cabo Frio , a opinião pública conta relativamente. A imprensa não parece ter poder suficiente para decidir eleições, até porque a grande margem quantitativa de eleitores que decide nosso pleito ou não tem acesso à imprensa escrita, ou não se pauta por ela, mas sim por micro-relações de poder baseadas em favores e outras benesses. A imprensa local tem todo poder de direcionar e até decidir os votos do chamado centro da cidade, porém, apenas pode ampliar ou amenizar, em curta escala, uma opinião pública nas regiões periféricas. É de olho nessa semi-mamata eleitoreira que, a cada dia, surge ou renasce um jornal na cidade, em geral, de qualidade duvidosa, mas opção política certa, ainda que velada.

Não podemos ainda deixar de lembrar da internet, já que a imprensa e a opinião pública têm, nesse meio, um grande mote, talvez mais democrático e eclético do que a versão escrita ou televisiva. É o que vemos, por exemplo, nos famigerados blog’s da cidade e região, em escala crescente, sejam eles pessoais ou institucionais Mas isso é uma opinião minha. Uma opinião particular. Que acaba de se tornar pública. Ainda que algum Deputado se lixe para ela.

sábado, 23 de maio de 2009

ALAIR CORRÊA NÃO SERÁ CANDIDATO


--------- O ex-Prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, não será candidato a Deputado Estadual. A declaração foi dada pelo próprio atual Deputado, que disse ainda ter certeza de que assumirá a Prefeitura da cidade ainda esse ano. As informações são do jornal O REGIONAL, que conseguiu um entrevista com o até então silencioso ex-prefeito.


---------- Cabe ficar atento pelas ruas da cidade: será que encontraremos edições desse jornal nas bancas? Ou teriam sido estrategicamente recolhidas?


---------- Depois da declaração de Alair, encontram-se abertas as inscrições para candidatura a Deputado Estadual a ser apoiada pelo grupo do ex-prefeito. O candidato poderá ser apadrinhado direta ou indiretamente, ou seja: pode ser que o grupo declare "não ter candidato a Deputado Estadual" mas, na verdade, trabalhe com algum nome nos bastidores. O mais provável é que o grupo assuma uma candidatura oficial.


---------- Entre os cotados estão o ex-vice-prefeito Vinicius Corrêa e o ex-Vereador Paulo Henrique Corrêa. Nada impede, porém, que o grupo assuma uma candidatura peemedebista de fora da cidade, para derrubar Paulo Mello, que seria apoiado pelo grupo de Marquinho Mendes. O problema é que faltam nomes.


---------- A outra saída pode ser regional. Alcebíades Sabino, do PSC de Rio das Ostras, teria uma força mediana. A saída campista, com Rosinha Garotinho ou Pudim, seria uma boa estratégia para ainda trazer, como "brinde" a articulação com Dr. Paulo César para Deputado Federal, já que todos são do PR, que se articularia, então, com o PMDB a nível municipal e regional.


---------- Mas a saída deve ser mesmo caseira. O candidato a deputado estadual apoiado pelo grupo de Alair Corrêa deve ser mesmo da cidade de Cabo Frio. E ele pode vir da bancada oposicionista. Ou da governista...







*********

quinta-feira, 21 de maio de 2009

MIGALHAS...

---------- O PAPO QUE ROLA É QUE NA PREFEITURA ESSA HISTÓRIA DE CRISE E CORTE DE GASTOS É MITO. Há quem diga que os bebedouros, por exemplo, continuam presentes nos corredores, com os galões totalmente cheios. Só não estão ligados na tomada. E os copos, ainda que descartáveis, sumiram. O que isso quer dizer, ninguém sabe, ninguém viu...


---------- ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A GRADUAÇÃO NO IFF-CABO FRIO até o dia 10/6. Já a Pós-Graduação Latu Sensu recebe candidatos até 05/06. A orma de ingresso é o vestbular ou o ENEM. Os cursos seguem um estilo Frankenstein: a graduação é em Ciência da Natureza (o que é isso???) que engloba, de uma só vez, a licenciatura em Física e Química (impressionante!!!!!) e a Pós é em Ensino de Ciências da Natureza...o endereço eletrônico para informações não é do IFF-Cabo Frio, mas sim do CEFET-Campos, que é logo ali (http://www.cefetcampos.br/) e os telefones são 2629-9792 e 2629-9077. Ah, os telefones não são de Campos...



---------- Estão abertas as inscrições para o já consagrado Festival de Esquetes de Cabo Frio, que nesse ano realiza sua sétima edição. As informações para inscrição encontram-se no blog www.festivaldeesquetesdecabofrio.blogspot.com. A assessoria de imprensa do evento,que se realizará entre os dias 19 e 22 de agosto, é do companheiro Ravi Arrabal, e a organização conta ainda com um time de peso, com direito a Mariana Ricci e Yuri Vasconcellos.





---------- Entre os dias 01 de maio e 20 de julho estarão abertas as inscrições para as mostras competitivas do terceiro Curta Cabo Frio, festival de cinema da cidade, que acontecerá de 3 a 13 de setembro deste ano. Maiores informações em www.festivalcurtacabofrio.com.br


---------- No dia 21, quinta-feira, o Convento Nossa Senhora dos Anjos segue com a programação da Semana de Museus, apresentando palestra da professora Olga Maria Cavalcanti sobre a importância estratégica da Região dos Lagos. Na sexta, dia 22, é a vez de Maria Cristina Tenório, arqueóloga do Museu Nacional/UFRJ falar sobre as pesquisas arqueológicas em Arraial do Cabo. Ambos os eventos acontecem a partir das 19h.


---------- A semana de museus se estende pelo fim-de-semana, partindo do Museu Oceanográfico em Arraial do Cabo. Na sexta, dia 22, a partir das 8h, haverá caminhada ao farol novo da ilha do Cabo Frio e no sábado, dia 23, a partir das 9h, saída para visitação dos sambaquis da ilha do Cabo Frio.
---------- Hoje, quinta-feira, dia 21, teremos Festival de Rap no bar Shangrilá (Rua Major Belegard), a partir das 21h. Um dos objetivos é arrecadar fundos para a galera da cidade que foi selecionada para participar do Festival de Rap da CUFA (Central única das Favelas).
---------- Hoje também começa o Seminário de Hip Hop na Casa dos 500 anos (Portinho), que rola o dia inteiro, com palestras à partir das 17h30min. O evento continua no sábado, dia 22, com os mesmos horários. A organização é da galera da Juventude Negra n'Atividade e conta com presença de artistas e profissionais da região.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Leonardo Attuch concorda com nossa enquete: RONALDO PRESIDENTE !

A última enquete realizada pelo nosso Blog apontou a vitória de Ronaldo (CORINTHIANS) em empate com Dilma Roussef (PT) na preferência dos blogueiros para a próxima eleição presidencial. A coluna dessa semana de Leonardo Attuch na Revista ISTO É confirma a preferência do eleitorado apontada no nosso blog:

Lula e o gordo
Se há alguém que merece um terceiro mandato no Brasil, seu nome é Ronaldo

Leonardo Attuch
attuch@istoe.com.br


Até ontem, o apelido era Ronalducho. A partir de agora, é melhor chamá-lo de Ronaldula. O "gordo" tem um time que joga em função dele, manda mais do que o técnico, conta com juízes quase sempre amigos e sua torcida é fanática - dizem até que a oposição já foi cooptada e que os torcedores dos times adversários andam comemorando seus gols. E quando alguns o chamam de "acabado", eis que o "Fenômeno" ressurge ainda mais forte.



Se o Ibope tivesse feito uma sondagem na semana passada, depois do título do Corinthians, Ronaldo apareceria à frente do presidente Lula na lista dos homens mais populares do Brasil. Os dois, no entanto, têm histórias paralelas.



Na final da Copa de 1998, quando o Brasil inteiro torcia por ele, Ronaldo surtou antes do jogo com a França. As más línguas dizem que amarelou diante de Zidane. Na disputa eleitoral de 1989, Lula também viveu sua convulsão no dia do histórico debate contra Fernando Collor. Passaram-se alguns anos e ambos deram a volta por cima. Na Copa de 2002, Ronaldo foi o artilheiro. No mesmo ano, Lula chegou ao poder. Mas, como a vida não caminha sempre em linha reta, o Fenômeno viveu novos pesadelos e arrebentou seus dois joelhos.



Lula teve o escândalo do Mensalão e foi obrigado a substituir vários jogadores para também não sair expulso de campo. Estrelas que são, os dois já andaram trocando caneladas. Na Copa de 2006, Lula perguntou ao técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, se Ronaldo estava gordo. O centroavante deu um chega-pra-lá no presidente com estilo. "Dizem que ele também bebe demais", retrucou.



Mas agora ambos estão felizes e saboreiam suas novas vitórias. Ronaldo é uma unanimidade e ainda veste a camisa do time do coração de Lula, que assiste a tudo da arquibancada com 70% de popularidade. Os dois andam tão cheios de si que fazem o que bem entendem, pairando acima do bem e do mal. Ronaldo é garoto-propaganda de uma marca de cerveja, coisa que só jogadores mitológicos como ele podem se dar ao luxo de fazer.



Lula, que aos poucos se converte em dono do Brasil, começa a tirar do armário seu plano para se perpetuar no poder, ciente de que não tem mais adversários. Não se sabe quem tem mais barriga, quem bebe ou não, mas se há alguém que realmente merece um terceiro mandato, seu nome é Ronaldo.

domingo, 10 de maio de 2009

MIGALHAS filiais...



---------- O Vereador Dr. Taylor gosta de circular pelos arredores da Câmara aos sábados. Há quem diga que o Edil merece pagamento de horas extras pela disposição...





---------- Tamoios está em polvorosa a partir da notícia não confirmada de que o Conselho do Plano Diretor teria proposto ao Prefeito o envio de Projeto de Lei à Câmara redividindo a área de Cabo Frio em 3 ou 4 distritos, minando assim a extensão territorial atual de Tamoios, o que impossibiitaria o processo de emancipação, já bem avançado. Há quem diga que no dia 30 de maio teremos novidades por lá.



---------- Há a possibilidade do Deputado Estadual Marcelo Freixo, Presidente da CPI das Mílicias na ALERJ, dar uma palestra sobre o tema em Cabo Frio, em breve.

---------- A Câmara Municipal de Cabo Frio estuda seriamente a possibilidade de criar os Cargos de Assistente de Fofoqueiro e Chefe do Departamento de Invenção de Fatos. O problema é que é muito funcionário se candidatando aos cargos, o que pode ultrapassar o limite de gastos da Casa...

---------- Tem gente dizendo que o desenho que estampa essa coluna é o retrato fiel das conversas dos funcionários da Câmara pelos corredores. Discordo: ainda não encontrei o anjinho...












ARTIGO - Dia dos filhos

Dia dos filhos
Publicado no Jornal Folha dos Lagos, em 10 de maio de 2009


Não escreveria um texto sobre o dia das mães. Mais propenso a discorrer uma intrigante anedota sobre a fofoca e suas questões culturais, fui sabiamente convencido a não fazê-lo. Disposto a fugir de datas comerciais, de tradições inventadas – usando termo de São Eric Hobsbawm – havia decidido não escrever sobre este domingo festivo. E de fato o farei: falarei sobre o dia dos filhos.

O dia de hoje é dia dos filhos. Dia dos estranhos seres inicialmente semi-inanimados, que habitam as sombras sociais e existenciais em primeiros anos de vida. Rebentos talvez fora do momento de rebentar, sem nome para receber, como vão chegando, não sabemos explicar, vamos assim levando, eles a nos levar, diria Gonzaga (o filho). Frágeis, por vezes adoecem, levam suas mães à loucura, insanidade na qual descobrem a verdadeira essência de uma tal maternidade. Recuperados, surpreendem-nos com suas capacidades de superação, inteligência e genialidade – ele não é uma gracinha? É a cara do pai (que sorte)! Esse vai ser Presidente (é um elogio?)!


Hoje é dia dos filhos. Espécie única, capaz de chorar ao se despedir da mãe no primeiro dia de aula, e poucos anos depois, querer que ela nem apareça no recinto escolar – afinal, já sou adolescente! Esses exemplares raros de humanos, incapazes de lavar uma peça de louça em casa, desfilam a pose de independência total nas ruas lotadas de indivíduos da mesma espécie, mas de sexo oposto, para os quais é necessário que se mostrem como não são – o ser real desses animais é guardado a sete chaves pela tal da mãe. Mas não é dela que estamos falando.

O dia dos filhos é o dia de hoje. Essas figuras que mergulham no buraco negro do mercado de trabalho, casam e cometem outras atrocidades ainda piores que essas, experimentam em suas vidas privadas o que a democracia nos propõe na esfera pública: uma liberdade assistida. Domingo vou almoçar na casa de mamãe! (quanto mais ficamos velhos, mais usamos termos infantis com nossas mães, para superar nossa frustração com a idade que avança). Amanhã vou levar mamãe ao médico. Tenho que ir ao banco resolver aquele problema de mamãe. Se antes fomos levados pela mão à escola e ao parque, carregamos depois pelo braço aquela que outrora nos trouxe, mas a lugares bem mais exóticos, afinal, não é muito mais divertido entregar sua mãe a um caixa de banco sonolento ou a um cardiologista piadista do que ser entregue a uma assustadora professora, ou pior, pedagoga?

É essa raça humana estranhíssima denominada filho, possivelmente derivado do Indo-Europeu BHEUE - "ser, existir, crescer", que traz em sua palavra a própria essência: ser filho é existir no mundo, porque não há quem não tenha mãe; ser filho é condição de crescimento, porque não há quem não tenha a avançar.

E a cada um de nós, membros dessa raça universal, resta submetermo-nos a filas malucas de presentes ou lembrarmos com saudade dessas mulheres que nos inventaram. Aos que mui corretamente não se preocupam com presentes e comemorações deste dia, os parabéns igualmente: todo dia é dia das mães; não porque a frase é bonita, mas sim porque todo dia é dia de todos nós, e todos nós somos filhos – inclusive as mães.

Filhos (não meus, mas como eu) comemoremos neste domingo mais um dos 365 dias anuais dedicados a nós! E que o hoje seja apenas uma desculpa agendada para viver o cotidiano: dar parabéns a nós mesmos, por meio das mágicas criadoras dessa raça a qual todos pertencemos.

EM TEMPO: Aos “amigos” da Câmara Municipal, os meus parabéns pela criatividade.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

ARTIGO - A obrigação de celebrar feriados

A obrigação de celebrar feriados
Publicado no Jornal Folha dos Lagos em 3 de maio de 2009

Em sua obra Ensaios de Sociologia, Marcel Mauss apresenta dois textos interessantes: A expressão obrigatória dos sentimentos e A obrigação de dar presentes. Em ambos, Mauss estuda grupos sociais, especialmente neozelandeses, investigando como certos hábitos deles são, na verdade, ritos religiosos obrigatórios, e até que ponto isso também acontece na nossa sociedade.

Nosso desafio hoje, aqui, é estender a interrogação de Mauss, com menos brilho e técnica, à questão dos feriados: A idéia de associar um dia de culto religioso ou cívico-social ao ato de não trabalhar – dia de ser um autêntico flâneur, como diria João do Rio: aquele que “está sem fazer nada, tem dez mil coisas necessárias na cabeça e adia todas”.

De onde viria a idéia do feriado? Há os que dizem que os babilônios foram os primeiros, em cerca de 2000 a .C., quando teriam celebrado seu ano novo numa festa de 11 dias, na bela e sugestiva data equivalente ao nosso 23 de Março. Ocidentalmente falando, parece-me que a idéia do feriado é mesmo religiosa, oriunda do shabat dos judeus, o dia do descanso divino. No talmude, 39 atividades são proibidas durante o shabat, apesar de não haver proibição expressa de se trabalhar.

Falando de recentes feriados, o de Tiradentes gerou nas ruas a pergunta: por que o dia do índio também não é feriado? A pergunta poderia ser inversa: por que Tiradentes é feriado? Conclui-se, a partir dessa reflexão, que o feriado para nós é um rito obrigatório: gostamos e queremos mais; achamos que o dia só é importante mesmo se for dia de não-trabalho: somos uma sociedade feriadólatra.

O dia 1º de maio é o feriado mais justo que temos: autêntico dia para flanar, porque é mais que coerente não trabalhar no dia do trabalhador. Com exceção de atividades como as do SEPE, por exemplo, o dia foi lotado de festas em empresas e órgãos públicos, algo maravilhoso para mim, que me deliciei com os doces e etílicos quitutes oferecidos por meus patrões. Imagino o que aconteceria se um patrão suspendesse tais festas num determinado ano: decerto haveria, no lugar da festa, protestos públicos, não por melhores salários, mas em repúdio à falta da festa! Como então não entender as festas, no dia do trabalhador, também como ritos obrigatórios?

Na região, vimos este ano um contraste nas festas públicas: enquanto em São Pedro da Aldeia tivemos show gratuito que arrecadou alimentos, em Cabo Frio , ao contrário, o trabalhador terá que pagar para assistir a um show que nem no seu dia aconteceu, mas que ocorre hoje, sabe-se lá se com o intuito de comemorar sua data. De todas as discussões sobre turismo de qualidade, a principal parece ser essa: não se pode confundir turismo de qualidade com privatização de eventos. O evento em São Pedro da Aldeia pareceu-me um rito obrigatório mais agradável para o trabalhador. Só não fui lá por medo de topar com Chico Bala.

No mais, flanei feliz na festa promovida para mim e meus companheiros na sexta-feira, e nada tenho a reclamar de barriga cheia, como diz o ditado. Que venha a independência, a(s) Padroeira(s) e tudo mais: dispenso o remédio contra a obrigação ritual de celebrar feriados. Também sou um feriadólatra, e hoje é domingo, dia de não-trabalho: já perdi muito tempo conversando sobre isso...