segunda-feira, 27 de abril de 2009

CORONEL ADILSON CAIU


CORONEL ADILSON NA GELADEIRA


O Coronel Adilson Nascimento não é mais o Comandante do 25º BPM de Cabo Frio. A Polícia Militar anunciou na manhã deste sábado (25), a troca de 14 comandos dentro da corporação, conforme já havia anunciado o secretário de segurança pública, José Mariano Beltrame, ao longo desta semana. De acordo com o comandante-geral da PM, Gilson Pitta Lopes, "as movimentações são rotineiras no serviço militar". Apesar desta justificativa, o critério real para as alterações é a baixa produtividade de alguns batalhões, de acordo com o jornalista Sidney Rezende(http://www.sidneyrezende.com/). Assume em Cabo Frio o Coronel Carlos Henrique Alves de Lima, que era comandante do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE)



o coronel Adilson Oliveira do Nascimento absolveu o então sargento Francisco César de Oliveira, o Chico Bala, acusado de chefiar o grupo conhecido como Comando Chico Bala. Submetido a Conselho de Disciplina (CD), em dezembro do ano passado, o atual subsecretário municipal de Transportes de São Pedro da Aldeia acabou expulso pelo comandante geral da PM, coronel Gilson Pitta, três meses depois. O oficial contrariou o parecer do colegiado do batalhão de Cabo Frio e do então comandante da unidade, que pediam a permanência de Chico Bala na corporação.


De acordo com a decisão do coronel Pitta, os depoimentos e as provas colhidas pelo CD eram suficientes para expulsar o sargento, que era lotado no 25º BPM e foi submetido a processo administrativo disciplinar por ter participado de uma operação da 35ª DP (Campo Grande) realizada na Zona Oeste do Rio, em 2008. Na ocasião, usou colete e camiseta com a inscrição Polícia Civil, e empunhou fuzil da instituição, sem estar devidamente autorizado, além de ter feito papel de informante e colaborador em ações policiais sem autorização do comandante da PM.


Em entrevista exclusiva ao jornal POVO do Rio, em 13 de abril, o ex- PM enfatizou: “recebi méritos da corporação, e o comandante do 25º BPM não tem nada contra mim”. Ele já tinha sido submetido a Conselho de Disciplina, em 2002, e possuía anotações que somam 110 dias de prisão e cinco punições de natureza grave, sendo duas por envolvimento com cooperativas de transporte alternativo. A expulsão foi publicada no Boletim Interno da PM, de número 46, do dia 16 de março, e seu relato possui quatro páginas.


Ainda segundo o jornal O POVO, o Coronel Adilson foi transferido para a Diretoria Geral de Pessoal (DGP); a famosa “geladeira” da corporação. A atuação dele havia sido classificada como ineficiente em documento confidencial assinado pelo coronel Paulo César Lopes, enquanto comandante do 2º Comando de Policiamento de Área (2º CPA). O ofício, enviado em fevereiro ao coronel Gilson Pitta, sugeria a substituição do oficial, além de mudanças no Serviço de Inteligência da unidade.

Nenhum comentário: