ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018

ESPECIAL ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2018 | Sugira sua emenda nos comentários. Vote nas enquetes. Dê sua opinião. Ajude nosso mandato a ser verdadeiramente popular e participativo!

terça-feira, 27 de maio de 2008

EU JÁ SABIA...


Embora tenha ganho o PT na consulta direta aos militantes, realizada no domingo, na segunda-feira Marquinho Mendes já perdia o PT. A Comissão Executiva Nacional do PT, reunida nesta segunda-feira (26) em Brasília, deliberou sobre pedidos e recursos relativos a alianças municipais, nas eleições deste ano, com partidos de fora da base do governo federal. Foram aprovados 12 pedidos e rejeitados cinco. Entre os rejeitados está o caso de Belo Horizonte, cuja possibilidade de coligação com o PSDB foi negada por 13 votos a 2. Também no embalo da rejeição estão as cidades de Açailândia (MA), Cláudia (MT), Xanxerê (SC) e a nossa Cabo Frio (RJ).


Dessa forma, a tendência é a coligação com Alair Corrêa, segundo colocado na disputa de domingo, ou ainda uma opção pela nulidade através de candidatura própria, de fachada, como a de Kita e Dirlei em 2004, que fizeram campanha velada por Alair Corrêa. A candidatura própria do PT evitaria que seus votos fortalecessem a campanha de Alair. Mas a melhor saída por enquanto, para Alfredo Barreto e cia, ainda é o desespero, enquanto Facury, Kita e etc. sorriem alegres...mas ainda cabe recurso, que, caso apresentado pelo Diretório de Cabo Frio, será apreciado nos dias 30 e 31 de maio.


Olha o PT, olha o PT, quem dá mais...tá na promoção...





Em cumprimento ao calendário aprovado na última reunião de 28 de abril da CEN, bem como às diretrizes sobre política de alianças aprovadas em 24 de março pelo DN, determinando – no caso das capitais de Estado, das cidades com mais de 200 mil eleitores e daquelas que transmitem horário eleitoral gratuito de TV –, que "eventuaisalianças com partidos de fora da base de apoio ao governo federal deveriam ser tratadas como exceções, debatidas e deliberadas em encontro municipal, referendadas pela executiva estadual e obrigatoriamente aprovadas pela Comissão Executiva Nacional do PT", a CEN, reunida nessa data, decide:


a) autorizar alianças fora da base de apoio ao governo federal nas seguintes cidades: Linhares (ES), Montes Claros (MG), Cáceres (MT), Nova Friburgo (RJ), Nova Iguaçu (RJ), Criciúma (SC), Itajaí (SC), Guarujá (SP), São Vicente (SP), Palmas (TO) e Araguaína (TO) e Canoas (RS).


b) rejeitar alianças fora da base de apoio ao governo federal nas seguintes cidades: Belo Horizonte (MG), Açailândia (MA), Cláudia (MT), Cabo Frio (RJ) e Xanxerê (SC).


Nos dias 30 e 31 de maio, o DN apreciará recursos contra as decisões supracitadas, já existindo recursos sobre os seguintes casos: Belo Horizonte (MG) e Canoas (RS), além de recursos de ofício sobre Contagem (MG), Governador Valadares (MG), Varginha (MG), Ponta Porã (MT), Lucas do Rio Verde (MT), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR) e Gurupi (TO).


Nas demais cidades que se encaixam nesta norma (capitais, cidades com mais de 200 mil eleitores e que transmitem horário eleitoral gratuito de TV), não estão autorizadas alianças fora da base de apoio ao governo federal.


A CEN também apreciou diversos recursos referentes a cidades que não são capitais e/ou que não têm segundo turno e/ou não são retransmissoras de horário eleitoralgratuito de TV, decidindo acatar as decisões das respectivas Comissões Executivas Estaduais, já havendo recurso de ofício para: Três Passos (RS), Arroio dos Ratos (RS), Campina das Missões (RS), Candiota (RS), Faxinalzinho (RS), Ibiruba (RS), Jaguari (RS), Lavras do Sul (RS), Pedro Osório (RS), Quarai (RS), Sananduva (RS), Santa Tereza (RS), São Jerônimo (RS), São José dos Ausentes (RS), São Marcos (RS), São Sepe (RS), Sapiranga (RS), Torres (RS), Tramandaí (RS), Três Cachoeiras (RS), Três Coroas (RS), Três de Maio (RS), Balneário Arroio do Silva (SC), Cordilheira Alta (SC), Lauro Müller (SC), Aguaí (SP), Araçariguama (SP), Araras (SP), Boituva (SP), Bragança Paulista (SP), Dois Córregos (SP), Ibiúna (SP), Itobi (SP), Mococa (SP), Pereiras (SP), Pirangi (SP), Pirapozinho (SP), Porangaba (SP) e Ubirajara (SP).


Nas demais cidades se encaixam nesta norma (não são capitais e/ou não têm segundo turno e/ou são retransmissoras de horário eleitoral gratuito de TV), prevalece a decisãoadotada pelas direções estaduais.


Tendo em vista que algumas direções estaduais não conseguiram deliberar, no prazo regulamentar, sobre solicitações de autorização tempestivas para realizar alianças fora da base de apoio ao governo, a CEN decide que, nestes casos, prevalecerá a decisão das direções municipais, exceto nos casos em que a CEN avoque para si a decisão, por deliberação da maioria da instância.


A CEN divulgará e registrará na Justiça Eleitoral, até o dia 20 de junho, a lista de cidades onde foram autorizadas alianças com partidos de fora da base do governo federal.


Alianças com partidos de fora da base, em cidades que não constem desta lista, bem como eventuais decisões e atos decorrentes de encontros e convenções municipais e estaduais que se oponham ao disposto nesta resolução, poderão ser anulados nos termos do Estatuto do PT e da legislação eleitoral em vigor.


O Diretório Nacional, que se reunirá nos dias 30 e 31 de maio, concluirá o processo de aprovação da política de alianças do PT nas eleições municipais de 2008.


Comissão Executiva Nacional do PT
26 de maio de 2008.



segunda-feira, 26 de maio de 2008

PÉROLA DA SEMANA


"A UNASUL foi uma decisão unânime de todos os Presidentes"

(Luís Inácio Lula da Silva)



Comentário: Se a decisão é unânime, é porque é de todos, caro Presidente...

quarta-feira, 21 de maio de 2008

ARTIGO...

CADA UM NO SEU QUADRADO

Feriadão! O que seria do criativo ócio tupiniquim, não fosse o Cristianismo cultural que nos invade: Corpus Christi, Padroeira Nacional, Natal, Páscoa... pequenas e pecadoras férias nascentes de uma Fé: O Sagrado e o Profano se misturam, embora o correto, num Estado Laico, Liberal e Democrático, seja ficar cada um no seu quadrado: Fé no seu quadrado. Estado no seu quadrado.

Esses sacro-profanos dias de 22 a 25 de maio começam a espalhar pela cidade pequenos grãos de sal do grande tapete que há de vir: As Eleições Municipais que, especialmente neste ano, parecem cada vez mais longe de uma contemplativa celebração religiosa.

Quero jogar então os primeiros pitacos salgados deste tapete cujo tema é a Pré-Campanha da Não-Fraternidade que reina nesta Cabo Frio pré-eleitoral. Meu primeiro grão atirado ao asfalto vai virar tapete a partir do dia 10 de junho. Ele tem a cor negra, porque negros dias veremos desta data até o dia 30 de junho: É o período das convenções partidárias, que definiram os candidatos a Vereador, Prefeito, Vice-Prefeito, Coligações, e - principalmente – que Partido fica com quem. O PMDB já foi tomado “por cima”. O PT corre o risco de ser tomado tanto “por baixo” como “por cima”. Há quem diga que o PSC teme o mesmo. O PV vai afunilando sua via progressista, como o PSB. Até 30 de junho é cada um no seu quadrado. Cada Partido no seu quadrado.

Lanço mais um grão, de cor amarela, que indica atenção. É a cor do cartão que a Justiça Eleitoral vem aplicando aos pré-candidatos cabofrienses nos últimos dias, e que aplicará até 6 de julho, quando começa a propaganda eleitoral. Bato palmas aos nossos justiceiros eleitorais: Há tempos não se via rigor e seriedade tamanha como nesses nossos dias. Aqueles que sempre desdenharam os TRE’s e o TSE, hoje, os temem.

Mas minhas mãos estão coloridas e cheias de sal. Meus aplausos têm o seu quê de feiúra – é preciso que a Justiça Eleitoral não exagere em sua missão. Temo que, em pouco tempo, alguns pré-candidatos sejam processados por pendurarem suas roupas no varal de suas casas, ou ainda, por varrerem matinalmente suas calçadas: Afinal, seriam estas claras propagandas extemporâneas (fora do prazo legal). As duas atitudes seriam indícios claros de que o pré-candidato dá a entender que vai “lavar a corrupção na cidade” ou ainda “varrer do Governo os marajás”.

Tanto a Justiça Eleitoral quanto os pré-candidatos têm cometido seus exageros, por isso, é importante afirmar: Cada um no seu quadrado. Justiça Eleitoral no seu quadrado. Pré-candidatos no seu quadrado.

O problema desse clima – chato, infantil e babaca – que Cabo Frio vive às vésperas da Eleição Municipal, tem origem na nossa falta de habilidade em relação à magnífica e complexa Dança do Quadrado. O índio não tinha nada que esfaquear o engenheiro da Eletrobrás, nem o engenheiro tinha que estar discursando em Altamira: Cada um no seu quadrado. Igreja não é lugar de político discursar, nem pergunta política deve ser respondida com testemunho religioso – cada um no seu quadrado. Escola de samba não deve ser Carro Abre-Alas de campanha, nem time de futebol ser campo de guerra eleitoral – cada um no seu quadrado. Político não pode ser dono de Emissora e fingir que é só colaborador – cada um no seu quadrado.

É preciso respeitar o espaço destinado para a confecção do seu tapete: Cada um no seu quadrado. É preciso resgatar o sal como fruto do trabalho do cabofriense, e pintá-lo com maturidade, lançando-o da maneira correta. É preciso combater as disputas entre artistas, e fazer um novo tapete, diferente, sem picuinhas pelo poder, um tapete de sal, e não de pedras. Quando dois ou três artistas brigam de maneira feroz, desconfie – não há mais ali um amor à arte, mas ao dinheiro ou poder do prêmio dado a vencedor. Afinal, Política séria no seu quadrado. Interesse pessoal no seu quadrado: Cada um no seu quadrado.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

PÉROLA DA SEMANA

PÉROLA DA SEMANA:


"Seu filho quebrou um braço? Fique tranqüila, criança é assim mesmo: Ele ainda vai quebrar muitos braços"


(RODRIGO FARO para Joana Prado, no Programa "Melhor do Brasil" - Record)


COMENTÁRIO: Seria interessante avisar ao rapaz que o garoto só tem mais um braço a quebrar. A não ser que ele seja uma Lula. No bom sentido.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

COLUNA JUVENTUDE TEM VOZ - Todo Domingo, na Folha dos Lagos

EU TAMBÉM QUERO FALAR DO PT
Publicado no Jornal Folha dos Lagos, em 18/05/08
Publicado no Jornal Folha da Cidade, segunda quinzena de maio

Nas últimas semanas, os principais jornais da cidade têm falado do PT. É como a mãe da Isabela: Todo mundo quer entrevistar, mas só a Patrícia Poeta consegue.

Mas com o PT é outro esquema – várias Patrícias Poetas cabofrienses conseguiram cobrir a matéria. No sábado passado o Diretório do Partido reuniu-se para ouvir três pré-candidatos à Prefeitura de Cabo Frio: Alair (que agora faz hora-extra interpretando o Seu Ladir de “Toma Lá, dá Cá”), Marquinho e Paulo César foram indicados por membros do Diretório como candidatos a serem apoiados.


Em geral, os anos eleitorais começam com os Partidos definidos; porém, por causa do pseudo-racha entre Alair e Marquinho (ambos membros do MRJ – Movimento dos Recolhedores de Jornais), o ano de 2008 para os Partidos de Cabo Frio se parece com o Livro da Zíbia Gasparetto que a – linda – Patrícia Poeta gosta tanto: Ninguém é de Ninguém...

O fato do PT ouvir os três pode ser interpretado como duas faces de uma mesma moeda: A face feia, com Zeca Camargo, e a face belíssima com – insisto –Patrícia Poeta. A face bonita: Ouvir os TRÊS TENORES mostra que o PT de Cabo Frio é democrático. A face feia: Na verdade eles só foram ouvidos porque há membros do Diretório que os querem como candidatos apoiados pelo PT: Isso mostra que o Partido da base governista está dividido. Dane-se o Zeca Camargo, mas a face feia da moeda é a verdadeira.

Como pode um Partido com três Secretarias e há três anos no Governo estar dividido? Simples: Talvez pessoas do PT estejam no Governo, mas não o PT. Faltou habilidade política do Prefeito ou dos Secretários. Quando se coloca um Partido no Governo, preenchem-se todos os cargos das Secretarias com membros do Diretório: Isso é amarrar um Partido.

Mas estamos falando do PT: Com o PT não se fala em barganhas, não se fala em inchar a máquina pública com filiados do Partido! Com o PT se fala em ética. Há quem acredite nisso. Há quem acredite na sinceridade do casal Nardoni em entrevista ao Jornal Nacional.

Alguns se surpreenderam com o fato de Jânio não ser convidado para falar ao PT. Para mim não foi surpresa: Jânio canta MPB; os Três Tenores ouvidos pelo PT cantam ópera: Ninguém entende nada, mas quem assiste finge que gosta. Jânio representa hoje o oposto do que o PT de Cabo Frio quer. Existem dois PT’s, em todo canto do Brasil: O PT do P (PT do passado) e o PT do H (PT do Hoje). O PT do P abraçaria Jânio; o PT do H, nunca. Em Cabo Frio, temos o PT do H. Simples assim.

O atual Governo de Cabo Frio tem semelhanças com o Governo nacional do PT. Boa parte dos membros do Governo Municipal – inclusive o Prefeito - veio de bases ideológicas: O PDT dos anos 90. Ambos os Governos mostram maior apreço pelo social que os anteriores, embora não consigam tanta efetividade. Ambos não conseguiram abandonar o inchaço da Máquina Administrativa, as barganhas políticas, e a falta de transparência nos gastos públicos. O que Lula fez com os Sindicatos, Marquinho fez com as Associações de Moradores.

A entrevista com a bela dupla Patrícia/Ana Carolina tornou-se assunto tão chato nesse texto quanto foi chata a própria entrevista. A repercussão do caso Isabella, por sua vez, tornou-se um assunto tão chato quanto o PT e a política de Cabo Frio: Não se fala de outra coisa, e, do Carnaval ao jogo de purrinha, todos se dividem em Milícias pré-eleitorais.

Então não quero mais falar disso. Prefiro sentar com Charles em seu bar, ao lado do petista Sindicato dos Estivadores. Quero falar com Pessoas, pois como diria o Fernando, eu sou só um guardador de Rebanhos, e os rebanhos são os meus pensamentos. Nunca um Outubro demorou tanto para chegar. E tomara que termine logo.