quinta-feira, 10 de abril de 2008

COLUNA JUVENTUDE TEM VOZ - Todo fim-de-semana, no Jornal Domingo dos Lagos

Os Monges Budistas de Tamoios
Publicado no Jornal Domingo dos Lagos em 12/13 de abril de 2008


Temos acompanhado no noticiário internacional, todos os dias, um fenômeno sócio-religioso que, com certeza, marcará nosso período histórico: A mobilização de Monges Budistas no Tibet em favor da libertação de seu País. Há alguns anos, o Tibet tornou-se uma possessão chinesa, o que levou o Dalai-Lama a exilar-se na Índia. Diante da opressão da China, Monges Budistas tibetanos de diversas localidades foram às ruas protestar e inclusive participar de conflitos corporais. Os até então silenciosos e passivos Monges revolucionam suas atitudes em prol da libertação de seu povo, surpreendendo as autoridades chinesas, a mídia internacional e os analistas sociais e comportamentais.

Nossa realidade próxima não é diferente. Como o Tibet, Tamoios é um território sob o domínio do 1o Distrito. Há uma grande mobilização para não perdê-lo, mas quase nenhuma mobilização para valorizá-lo. Como já apresentado em artigo anterior, o Banco do Brasil funciona num Trailler, o asfaltamento de ruas é realizado sem infra-estrutura e estudo de solo, aumentando os prejuízos oriundos de enchentes. O Secretário de Saúde de Cabo Frio afirmou em entrevista à TV que o Segundo Distrito e o Jardim Peró são os grandes focos do mosquito da dengue no Município. Será que o acúmulo de água da chuva em torno da Cisterna Comunitária, próxima ao Colégio Marli Capp, tem a ver com isso ??

Mas os tempos estão mudando. Os moradores de Tamoios, até então semelhantes a Monges Budistas passivos e observadores, começam a mudar seu comportamento. Começam a partir para a ação. No dia 28 de março, vários moradores desabrigados por causa das chuvas mobilizaram-se nas ruas voluntariamente, em protesto. No sábado passado, moradores do Bairro do Chavão realizaram manifestação contra a passagem de caminhões em áreas de preservação ambiental.

Os antigos Monges Budistas de Tamoios estão se convertendo. Eles decidiram a eleição municipal passada, em favor do candidato do Governo, embora o mesmo Governo nada tivesse feito por eles. Agora chegou o momento da revolta: Eles começam a deixar seus mosteiros alagados pelas enchentes. Eles começam a conciliar suas orações com seus protestos. Eles passam a unir a contemplação da natureza com a defesa da natureza: Da natureza humana.

Os locais geograficamente abandonados na História do Brasil sempre geram focos de Revolução. Assim foi no Araguaia com a Guerrilha, no Sertão Baiano de Antônio Conselheiro, nos Quilombos, e assim está sendo nas Favelas Cariocas.

Já começou a Revolução dos Monges Budistas de Tamoios. Talvez eles não consigam libertar seu Tibet. Mas eles querem mostrar que o tempo da passividade e da resignação acabou. Cabe a nós decidirmos: De que lado ficar? A favor dos Monges ou contra eles?

Faça sua escolha. E salve Siddhartha Gautama.

Um comentário:

Anônimo disse...

See Please Here