quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

ARTIGO...

ADESIVOS ELEITORAIS IIO RETORNO

A campanha em Cabo Frio começa mais cedo do que nunca, e com o agravante de que há muitos anos não se via uma tamanha indecisão partidária, ou seja: Tem muito candidato a Vereador sem saber qual candidato a Prefeito seu Partido vai apoiar.

Isso é interessantíssimo: Adesivos, slogans, propagandas em geral e várias outras modalidades de campanha, que deveriam acontecer mais tarde, já infernizam a cidade, ao passo de que alianças eleitorais e definições de apoios dos Partidos, que já deveriam estar definidas, caminham a passos lentos.

Esse fato prova duas coisas: As eleições municipais são cada vez mais pautadas na candidatura pessoal ou no estabelecimento de grupos de interesses pessoais comuns (sejam eles éticos ou não), deixando de lado as arcaicas e obsoletas estruturas de partidos e coligações. Em segundo lugar, reforça a tese de que a política não perdeu seu valores: Na verdade, eles apenas mudaram de ordem, de lugar e de prioridade e de tempo. Se é que esses valores algum dia existiram...

Por isso, atendendo a pedidos de centenas de Instituições Sociais de nossa cidade (menos da Justiça Eleitoral, claro), milhares de amigos e milhões de inimigos, apresentamos mais algumas reflexões de humor negro político sobre os adesivos dos nossos queridos pré-pré-pré-candidatos a Vereador, que vemos pelas ruas e carros da nossa cidade. Afinal, seria cômico se não fosse trágico, e como ninguém parece estar afim de combater a tragédia, vamos rir, porque deve ser o melhor remédio.

“Uma história de trabalho” – Forrest Gump, o contador de Hi(e)stórias.

“O homem do povo”
– Não dá pra dizer que esse é do tipo “homem de uma mulher só”

“É possível crer no amanhã” – No amanhã é possível sim, o problema é que a eleição é só em outubro

“Saúde em 1o lugar” – É Campanha ou campeonato ?

“O forte é o transporte” – Pra mim o Forte era um monumento

“Tudo pelo social” - Plagiou Sarney, que usava esse lema em seu Governo de 1985. Processo nele...

“Esse é o homem!” – Plagiou Pôncio Pilatos no Evangelho de João, capítulo 19, versículo 5. Processo nele...

“Nós amamos Tamoios” – Tem que ver é se Tamoios ama você...

“Demorou mas veio” – Ah, espera mais um pouco, já demorou tanto, fica por aí mesmo...

“Minhas mãos em sua vida” – Coisa feia, metendo a mão na vida dos outros, que mania de fofoca...tira essa mão boba daí...mas enquanto sua mão estiver na minha vida, nem há muito problema. O problema é se você resolver colocar a mão em outro lugar. Pode comprometer a campanha.

“Diferente dos outros, igual a você” – Não tenho irmão gêmeo nem clone meu espalhado por aí...

“Coloque essa estrela no peito” – Cuidado pra ninguém te mandar colocar a estrela em outro lugar

“Chegou a hora!” – Parece grito de Escola de Samba entrando na Avenida

Nenhum comentário: